sábado, 27 de março de 2010

O Iuperj pede socorro

Por Luiz Carlos Azedo
luizazedo.df@dabr.com.br
Com Norma Moura


Alô, alô, governador Sérgio Cabral (PMDB). Nem só a perda dos
royalties pode afundar o Rio de Janeiro. A falência de um dos
seus centros de excelência acadêmica também empurra para
baixo cariocas e fluminenses, pois é iminente o fechamento
do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj),
cujo programa de pósgraduação em ciência política e sociologia
é um dos mais respeitados do país. A instituição está fechando as portas porque a tradicional Universidade Cândido Mendes,
mantenedora do Iuperj, também anda mal das pernas.

● ● ●

Nos últimos dois anos, os professores da instituição deixaram de receber 9 dos 26 meses de salários, além de outros direitos trabalhistas. Nem por isso deixaram de trabalhar. A situação, porém, se agravou: “Em 2010, não
temos qualquer perspectiva de que receberemos salários ao longo de todo o ano letivo. Ora, como não temos recursos próprios, o que fazer para evitar um desfecho que nos é catastrófico?”, indagam os professores da instituição em abaixo-assinado. Eles negociam com o Ministério da Ciência
e Tecnologia a formação de uma organização social como forma de captar recursos públicos para o Iuperj, mas essa opção depende de uma decisão do Supremo. Além disso, sua implantação levaria pelo menos dois anos.

● ● ●

Nos últimos 40 anos, o Iuperj foi um bastião da resistência democrática e das ideias renovadoras da política e da vida social. Seus programas gratuitos de Ciência Política e Sociologia fomentaram teses de doutorado, dissertações de mestrado, diplomaram doutores estrangeiros e brasileiros. A instituição mantém 11 grupos de pesquisa cadastrados no CNPq. A maioria dos mestres que formou leciona em universidades (41% em instituições públicas e 23% em instituições privadas). Cerca de 1.230 intelectuais de todo o país pedem socorro para a instituição, num abaixo-assinado que pode ser subscrito no endereço www.iuperj.br/abaixoassinado.php

Defesa

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), encaminhou um pedido de informações ao ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, sobre o impacto dos cortes no orçamento no programa de reaparelhamento das Forças Armadas.

Anistias

A 34ª Caravana da Anistia, ontem em São Paulo,anistiou mais oito
ex-perseguidos políticos, que foram vítimas da chacina da Lapa ou
participaram, na época da ditadura, da Guerrilha do Araguaia e do Partido Comunista do Brasil. Em nove anos, a Comissão de Anistia já apreciou 54mil processos

Ficha-limpa

A Executiva do PDT-DF resolveu passar um pente-fino na chapa de candidatos às eleições do GDF. Aprovou por unanimidade uma resolução que exige ficha limpa de todos os candidatos a serem homologados pela legenda.
Segundo o presidente do PDT, Ezequiel Nascimento, o partido não precisa esperar o Congresso aprovar a lei dos ficha-limpa para adotar esse procedimento.

Caneta

O governador José Maranhão (PMDB) está numa queda de braço com a Assembleia Legislativa da Paraíba, que resolveu convocar o secretário de
administração, Antônio Fernandes Neto, para dar esclarecimentos sobre seis mil nomeações de funcionários. Maranhão passou o rodo nos nomeados por seu antecessor, o ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi cassado por abuso de poder econômico nas eleições.

Moita//

Faltando pouco menos de uma semana para o prazo final de
desincompatibilização, ainda pairam dúvidas sobre o futuro político de
alguns integrantes do governo Lula. Um exemplo é o ministro Patrus
Ananias, que ainda não definiu se entrega a pasta do Desenvolvimento Social.

Os Alves

Não será surpresa uma reaproximação política entre o senador Garibaldi Alves (foto) e o líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (foto), nas eleições para o governo do Rio Grande do Norte. Aliado da governadora Wilma de Faria (PSB), Alves ficou à deriva com a doença do vicegovernador Iberê Ferreira de Souza, que está com câncer e pode sair da disputa. Garibaldi apoia a candidata do DEM, senadora
Rosalba Ciarlini (DEM), e faz dobradinha com o líder do DEM,José Agripino Maia, na disputa pelas vagas do Senado.

Liberou/O polêmico projeto que libera o jogo no país será discutido por uma comissão geral na próxima terça-feira. O governo não quer se meter
na enrascada e por isso não indicou ninguém para falar em seu nome,
apesar dos pedidos que chegaram ao líder do governo na Câmara,deputado Cândido Vaccarezza. Na votação, o PT decidiu liberar a bancada.

Adidos/A Polícia Federal negociou com o Ministério das Relações Exteriores a ampliação do número de adidos policiais no exterior. Na Europa, foram escolhidas as embaixadas brasileiras em Londres e Madri. Outros adidos serão destacados para a China,México e Japão. Os cargos são disputadíssimos.

Ofensiva/A União Brasileira de Municípios (Ubam) está mobilizando refeitos de todo o país.A ideia é que eles pressionem os senadores em seus estados para que o Senado aprove o projeto de partilha dos dividendos dos oyalties da camada pré-sal. A pressão aumenta porque os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram reduzidos em quase 50%.

Publicado sexta-feira, 26 de março de 2010, na coluna Brasília/DF do Correio Braziliense

2 comentários:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br

Luiz Carlos Azedo disse...

Que história incrível!!! Vou conversar com meu amigo Jorge Oliveira sobre isso. Ele é um jornalista e cineasta alagoano que pesquisa a história de sua terra natal.