domingo, 21 de março de 2010

Cerco e aniquilamento

Por Luiz Carlos Azedo
Com Norma Moura
luizazedo.df@dabr.com.br


É complicada demais a situação da oposição em Pernambuco. O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-ES), peso pesado da estratégia do candidato tucano José Serra (PSDB) para o Nordeste, não decidiu ainda se lançar ao governo local. Não sente firmeza na base de apoio, com a maioria dos prefeitos do PSDB e do DEM sob influência do governador Eduardo Campos (PSB), candidato à reeleição. O ex-governador pernambucano teme ser “cristianizado” no sertão, que conhece bem.

» » »

O senador Marco Maciel (DEM-PE), estrela da política nacional, teria uma reeleição garantida com a candidatura de Jarbas. Sem ela, ficará em risco eleitoral. Sua base de apoio ficaria restrita aos eleitores fiéis. Maciel não tem como fugir à disputa, mas o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, candidato à reeleição no Senado, ainda pode recuar e concorrer à Câmara Federal. Sua filha Helena Bressan Guerra guarda o lugar na chapa para a eventualidade de um recuo estratégico do tucano.

» » »

Nas eleições proporcionais, a chapa de deputado federal da oposição também está tremendamente enfraquecida. Hoje são apenas sete deputados da oposição, contra 18 governistas. A situação é tão ruim que o deputado Roberto Magalhães, ex-governador e ex-prefeito do Recife, anunciou que vai pendurar as chuteiras. Não tem recursos para financiar a campanha e seus eleitores, a cada eleição, estão diminuindo.

Regra três

Roberto Magalhães seria um bom nome para encabeçar a chapa de oposição no lugar de Jarbas, mas não aceita a tarefa. Raul Henry (PMDB) também não.
O único disposto ao sacrifício é o deputado Raul Jungmann, do PPS, ex-ministro da Reforma Agrária do governo FHC.

Livre

O ex-ministro da Saúde Humberto Costa (foto) pleiteia uma das vagas de candidato ao Senado na chapa de Eduardo Campos, em dobradinha com Armando Monteiro (PTB), presidente da CNI. Está prestes a se livrar do processo que herdou do ministério, no caso dos Sanguessugas. O Ministério Público pediu que seja considerado inocente pela Justiça Federal.

Criatura

O ex-prefeito do Recife João Paulo (PT), em rota de colisão com o governador Eduardo Campos depois de uma meteórica passagem de 40 dias no seu secretariado, rompeu com o prefeito da capital, João da Costa, que o sucedeu. Disputa a vaga de candidato ao Senado pelo PT, mas gostaria mesmo é de concorrer ao governo.

Fechado

O PT está praticamente fechado com a candidatura à reeleição do governador Eduardo Campos (PSB). Só lançará candidato a governador se o PSB mantiver a candidatura do deputado Ciro Gomes à Presidência da República, o que considera improvável.

Fraudes

Dos 120 municípios fiscalizados pela Controladoria-Geral da União (CGU), 110 apresentaram algum tipo de problema em suas licitações, o que significa 91,66% do total. Desde 2003, o programa fiscaliza recursos da ordem de R$ 11,3 bilhões em todo o país. Ele já chegou a 30,5% dos municípios brasileiros, ou seja, 1.701 prefeituras

Tovarich

O ex-presidente Itamar Franco (foto) será candidato ao Senado pelo PPS, garante o fiel escudeiro Henrique Hargreaves. A dobradinha com o governador Aécio Neves (PSDB) na disputa das duas vagas do Senado servirá de alavanca para o vice Antônio Anastasia (PSDB), que assumirá o governo de Minas e concorrerá à reeleição. Parada indigesta para a chapa que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está armando no estado mineiro.

Ofensiva

Aloizio Mercadante (PT-SP) tem conversado com aliados para garantir o palanque do PT à ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do partido à Presidência, no maior colégio eleitoral do país. Em visita feita pelo deputado Paulinho (PDT), presidente da Força Sindical, o senador petista traçou uma estratégia para, ao menos, garantir um bom palanque para a ministra no segundo turno.

Controle

Dentre os 13 projetos escolhidos pelo colégio de líderes para ir a votação a partir desta semana, uma das prioridades é o PL nº 5909/09, que cria cargos e estrutura a carreira do Conselho Nacional do Ministério Público.

No peixe/ O PT assedia o PSC em São Paulo. Cacique da legenda social cristã, o deputado Regis de Oliveira (SP) já embarcou na candidatura a governador do secretário de Desenvolvimento e ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

No gato/ De olho na possibilidade de o PSB ter candidatura própria em São Paulo, o PP ensaia apresentar o deputado Celso Russomano como candidato ao governo, revela o líder da legenda na Câmara, deputado João Pizzolatti (PP-SC).

Moita/ Apesar de não declarar oficialmente, o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) urde nos bastidores dos democratas sua candidatura ao governo do GDF. Enquanto isso, vai azucrinando a vida dos petistas na Câmara, com a coleta de assinaturas para a CPI do Bancoop.

Um comentário:

Marisa disse...

Azedo, Nunca na historia recente das eleicoes pernambucanas para o governo do estado se assistiu um governador candidato ou o candidato do governo não ter a ampla maioria dos prefeitos no regaco governamental.
Jarbas sabe dessa hitoria e sua candidatura não repousa nessa hipotese.Ja ganhoucorse uma eleicao contra Arraes sem maioria de prefeitos o apoiando.