sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Efeito catalisador

Por Luiz Carlos Azedo
Com Norma Moura
luizazedo.df@dabr.com.br


É possível listar várias causas para a crise de hipertensão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: excesso de calorias, sono atrasado, cigarrilhas demais, falta de exercícios físicos, agenda carregada etc. Mas a hora e o local do piripaque de Recife, quarta-feira à noite, depois do jantar com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), só tem uma explicação: a conversa foi indigesta demais. O presidente do PSB não fez nada fora do protocolo, apenas disse a Lula que Ciro (PSB-CE) não aceita ser candidato a governador de São Paulo de jeito nenhum.

» » »

Ciro mandou o seguinte recado: é candidato a presidente da República, se o partido quiser que o seja. Em caso contrário, não será candidato sequer a deputado federal. Prefere trabalhar pela reeleição do governador Cid Gomes (PSB), seu irmão, no Ceará. Lula avaliava que Ciro toparia ser candidato a governador de São Paulo.

Teimoso//

O presidente Lula queria embarcar para Davos, na Suíça, mesmo com a pressão arterial de 18 por 12. Depois de muito insistir, foi enquadrado pelo médico da Presidência, Cléber Ferreira: “Presidente, isso é uma ordem”. Lula acatou.

Sobrou

No PSB, é grande o mal-estar com as pressões do PT para que Ciro apoie Dilma no primeiro turno. O fato de os demais partidos do bloquinho — PDT e PCdoB — terem antecipado o apoio à petista é atribuído às articulações do presidente Lula. Os líderes da legenda avaliam que o PT fechou com o PMDB de Norte a Sul e não sobrou espaço para a legenda em nenhum lugar, exceto naqueles onde o PSB já é governo, como Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

Cigarrilha

Longe do público, o presidente Lula anda fumando demais, a ponto de a primeira-dama Marisa Letícia esconder as caixas de cigarrilha Café Creme que o presidente da República passou a consumir diariamente, tragando.

Frente

O senador Gim Argello (PTB-DF) teve uma conversa reservada de uma hora e meia com o senador Cristovam Buarque, do PDT-DF, na quarta-feira. Discutiram a formação de uma frente trabalhista. Gim, candidato ao Governo do Distrito Federal, se dispõe a apoiar a reeleição de Cristovam ao Senado.

Sozinho

No que depender do PP, a pré-candidatura de Ciro Gomes à Presidência está enterrada. A legenda fecha com a ministra Dilma Rousseff. Uma consulta aos diretórios do partido mostra que 90% deles apoiam a candidata do Planalto.

Benchmarking

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, viajou ao Reino Unido e à Espanha acompanhado do ministro do Esporte, Orlando Silva, para estudar a preparação e a realização de Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Londres sediará as Olimpíadas de 2012; Barcelona abrigou a de 1992. A missão oficial termina na quarta-feira.

Expectativas

Termina no próximo domingo a pesquisa que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza para conhecer a opinião das principais lideranças do país sobre temas como meio ambiente, relações de trabalho, relações sociais, mudanças na estrutura familiar e novas tecnologias. O CNJ pretende ouvir 40 mil pessoas

Ícone/ A liminar que paralisou as obras do VLT (veículo leve sobre trilhos), em Brasília, determinou também a suspensão das negociações com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Alegando estar com a cota de empréstimos para o Brasil excedida, o BID se retirou das negociações para o financiamento do projeto. O VLT seria o ícone do governo Arruda.

Emperrado/ Até o fim da tarde de ontem, o Tribunal de Contas da União (TCU) ainda não havia recebido nenhum comunicado sobre o grupo de trabalho proposto pela Petrobras para fiscalizar as obras com indícios de graves irregularidades apontadas pelo tribunal. Essas obras acabaram liberadas, após o presidente Lula vetar o bloqueio dos recursos no Orçamento de 2010.

Posse/ Na próxima segunda-feira, às 19h, no auditório do Edifício Brasil 21, o advogado paraense Ophir Cavalcante será empossado presidente nacional da OAB. Substituirá Cezar Britto, que dirigiu a entidade nos últimos três anos.

Um comentário:

Guilherme Scalzilli disse...

Lula exposto

A cobertura jornalística da rápida internação do presidente segue um roteiro previsível. O alarmismo das manchetes iniciais garantiu uma atenção desproporcional ao problema. Durante a fase de expectativa, fotografias mostravam Lula fazendo caretas e exibindo sinais de fraqueza. Antes que parecesse redundante ou exagerado, inacreditáveis especuladores de rádio e TV faziam piadas sobre seus hábitos e ridicularizavam a cúpula do governo.
Mesmo constatada a desimportância do episódio, todos os veículos aproveitam-no agora para minuciosa exposição do presidente. Gráficos apontam suas vulnerabilidades, “especialistas” prevêem futuros sombrios, retornam as pechas do alcoolismo, do tabagismo e da obesidade. Parece que Lula foi destituído de nobreza e magnificência, restando apenas um pobre diabo que morrerá a qualquer momento (é um ensaio para o que Dilma enfrentará em breve).
Que diferença da mídia que defendia a preservação da intimidade do agente público...