sexta-feira, 2 de abril de 2010

O regime candango

Por Luiz Carlos Azedo
Com Norma Moura
luizazedo.df@dabr.com.br


Por vias pra lá de tortuosas — a prisão e a cassação do mandato do governador eleito José Roberto Arruda e a renúncia de seu vice, Paulo Octávio, no rastro espantoso da Operação Caixa de Pandora —, Brasília vive inédita experiência parlamentarista, regime no qual a maioria dos integrantes do Legislativo constitui o governo. É o que acontecerá em 17 de abril, com a eleição indireta do novo governador do Distrito Federal. Tudo indica, salvo uma ampla mobilização das forças de oposição, que o governador interino Wilson Lima (PR) será confirmado no cargo.

» » »

Por quê? É simples: a eleição de Wilson Lima como presidente da Câmara Le-gislativa, o que lhe garantiu o lugar de governador interino, foi uma espécie de amostra grátis do que deve ocorrer no dia 17. Lima pactuou o mandato com uma maioria expressiva de deputados distritais, que estão gostando muito da experiência de compartilhar entre si a responsabilidade pela gestão dos investimentos e dos serviços públicos do GDF, além de nomear os integrantes do governo e atender as demandas das suas diversas corporações.

» » »

Mas como o poder é afrodisíaco, como diria o falecido Ulysses Guimarães, outras forças parecem contrariadas com o rumo dos acontecimentos. A cúpula do PT — leia-se o ex-ministro do Esporte Agnelo Queiroz, o deputado federal Geraldo Magela e o presidente do diretório regional, Roberto Policarpo — decidiu lançar um candidato sem mandato parlamentar, que tenha poder de aglutinação para atrair outras legendas. O nome em vista é o do ex-deputado Sigmaringa Seixas, amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ex-tucano, que reluta em aceitar a missão. A decisão deverá ser tomada na segunda-feira.

Outros

O deputado Aguinaldo de Jesus (PRB), presidente da Comissão de Ética da Câmara Legislativa, ameaça se lançar candidato ao governo do Distrito Federal, desafiando Wilson Lima. Seria candidato do grupo mais ligado ao governador cassado José Roberto Arruda. Novo presidente do DEM-DF, Adelmir Santana articula o lançamento da candidatura do deputado Alberto Fraga (DEM), com apoio da distrital Eliana Pedrosa.


Decisão

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) prepara para o início deste mês a lista definitiva dos cartórios que deverão substituir os titulares sem concurso. O conselho analisa cerca de 3 mil recursos contra a decisão, publicada em janeiro pelo CNJ. Nessa situação estão 7.828 cartórios

Amarelou

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não precisou de muitos argumentos para segurar o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, no cargo. Depois do chega pra lá da cúpula do PMDB em relação às pretensões de ser vice da petista Dilma Rousseff, Meirelles concluiu que uma candidatura ao Senado por Goiás seria de alto risco.

Chapão

O senador Cícero Lucena (PSDB-PB) perdeu a queda de braço com o ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB), cassado por abuso de poder econômico na campanha de 2006. O candidato a governador será o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho, do PSB, com Cunha Lima e Efraim Moraes (DEM) ocupando as vagas de candidatos ao Senado. O vice Luciano Agra (PSB) assumiu a prefeitura de João Pessoa.

Andança

A disputa em Minas para saber quem vai concorrer ao Palácio da Liberdade promete se estender por mais um mês. É o prazo em que o ex-ministro Patrus Ananias (PT-MG) diz que saberá suas reais chances frente ao candidato do PMDB, o ex-ministro das Comunicações Hélio Costa. Até lá, Patrus vai percorrer o estado em busca do apoio da militância para bater o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT-MG), com quem ameaça disputar prévias.

Anotações/ Mesmo declarando sua preferência pela disputa ao Senado, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) circula com um caderninho onde vem listando suas ações para um eventual retorno ao Palácio do Buriti, para o caso de um remoto racha entre o PT e os aliados de esquerda.

Fantasma/ Em conversa com o deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), pré-candidato ao governo do Maranhão, o presidente da Infraero, Murilo Marques Barboza, manifestou preocupação com a possibilidade de o aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís, perder o status de internacional. Em 2009, o estado não registrou nenhum voo com destino ou origem no exterior, nem na modalidade charter.

Missão/ A assessoria do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, informa que ele esteve em Teresina (PI) para a inauguração da Ponte Estaiada Mestre João Isidoro França, de 363 metros de extensão, que contou com investimentos de R$ 26,42 milhões do Ministério do Turismo — graças a emenda de parlamentares do estado. Após a cerimônia, o ministro participou de jantar oferecido pelo ex-governador Wellington Dias (PT), que deixou o cargo para concorrer ao Senado.

3 comentários:

A Hora e Vez disse...

De fato, se Wilson Lima (PR) continuar como governador interino para este mandato tampão, quem será beneficiado diretamente com isso é Joaquim Roriz, que já convidou Jofran Frejat (PR) do mesmo partido de Lima para ser um "colaborador" da campanha de Roriz. Neste momento, poucos deputados distritais têm moral pra se candidatar nesta eleição indireta. E Wilson Lilma certamente não está nesta lista.

Gabriel disse...

O Sigmaringa é um cara sério e honesto. Não é a toa que o Agnelo, Magela e a direção do PT cogitam o nome dele pro Buriti! O Sigmaringa já vai deixar a casa limpa pro Agnelo assumir em janeiro!

Luiz Carlos Azedo disse...

Caros,

O GDF foi compatilhado com a Cãmara Legislativa. Os distritais que apoiam Wilson Lima se consideram donos do governo. E o são efetivamente.