quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O ano que passou

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 26/12/2012
 

A presidente Dilma Rousseff termina o segundo ano de mandato batendo recordes de popularidade. Há boas razões para isso: não houve escândalo durante seu governo que não se resolvesse com uma rápida vassourada; as transferências de renda (Bolsa Família, aposentadorias rurais) garantiram o apoio dos "mais pobres" ao governo; o valor real do salário mínimo (que passará de R$ 622 para R$ 677 em janeiro); e o aumento do emprego, tudo proporcionado pela atual política econômica. A "nova classe média", hoje majoritária na sociedade, manteve-se nessa condição social e está feliz da vida.

»   »   »

No plano político propriamente dito, as eleições municipais não alteraram a correlação de forças a ponto de abalar o prestígio da presidente Dilma, embora tenham potencializado a possibilidade de o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), vir a ser candidato à Presidência da República em 2014. O julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), apesar do inevitável desgaste sofrido pelo PT, não produziu um arranhão na imagem de Dilma.

»   »   »

Isso significa que o ano foi bom? Não, foi mais ou menos. A presidente Dilma Rousseff não conseguiu viabilizar seus objetivos no plano econômico, com exceção da redução dos juros e da desoneração tributária de setores da indústria. Mesmo assim, o setor produtivo fecha 2012 de joelhos, pelo segundo ano consecutivo: crescimento de 2,7% em 2011 e, provavelmente, inferior a 1% neste ano que finda. Além disso, a nossa inflação ainda é uma das mais altas do mundo e o governo patina na execução dos próprios projetos de investimento.

Reposição apenas// 

O governo não deu aumento real (acima da inflação) para os aposentados que ganham acima do salário mínimo. Para eles, foi concedida apenas a correção da inflação, como prevê a legislação.

Mais do mesmo

Ministro da Fazenda, Guido Mantega aposta na virada em 2013. Repete que, em 2013, o PIB finalmente apresentará avanço entre 4% e 4,5%. Acredita no crédito em expansão de pelo menos 14% ao ano; na desoneração da folha de pagamento das empresas; na redução de impostos; e em mais investimentos públicos. No fim de 2011, Mantega dizia a mesma coisa.

Mulheres

A presidente Dilma Rousseff mantém o foco nas mulheres. O governo anunciou ontem duas mudanças no indulto de Natal, que vão beneficiar detentas com filhos menores e pessoas que cometeram crimes ao patrimônio com prejuízos pequenos. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial da União de hoje. O indulto é um perdão das penas para presos que têm bom comportamento e que tenham cumprido parte da condenação.

Sem crise

Líder da oposição na Venezuela, Henrique Capriles, já admite o adiamento da posse do presidente Hugo Chávez, que está hospitalizado em Cuba após a quarta operação para retirar um câncer. Caso não possa assumir o poder em 10 de janeiro, como determina a Constituição, para Capriles, Chávez "não perde a condição de presidente eleito". Segundo ele, "se aplicariam inicialmente uma ausência temporária e, depois, o que estabelece a Constituição para a falta absoluta", destacou.

Cola tudo

A ex-primeira dama Marisa Letícia não desgruda do marido, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em todas as aparições públicas deste fim de ano. É o antídoto contra especulações sobre a vida do casal. Petistas comemoram: a partir de fevereiro, Lula retomará as caravanas da cidadania.


Volta por cima

Presidente da Petrobras, Graça Foster quer ver em operação no próximo ano mais seis plataformas de petróleo. Com isso, pretende aumentar em 840 mil barris diários a capacidade atual da empresa. Três delas são exclusivamente da companhia. Outras três, para exploração do pré-sal, em parceria com outras petroleiras.

Barris

A meta da Petrobras é chegar em 2016 com uma produção diária de 2,5 milhões de barris.

Referência/ A política baiana perdeu a sua maior referência em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano. Dona Canô, matriarca da família Veloso, morreu ontem aos 105 anos, em sua residência. Mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia, era paparicada pelos políticos.

Líder morto/ Mamede Gomes de Oliveira, histórico militante do MST do estado do Pará, que tinha 58 anos, foi morto dentro de seu lote na região metropolitana de Belém, com dois tiros disparados por Luis Henrique Pinheiro, preso logo após o assassinato. Nascido no Piauí, ainda criança foi para Pedreira, no Maranhão, e logo depois veio para o Pará. Atuou nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs).

Um comentário:

José Luiz da Costa Pereira disse...

iFaltou dizer que o Corinthians foi Campeão do Mundo, que a Patrícia Amorim foi derrotada nas eleições do Flamengo e que os Paraolímclpicos foram o destaque nacional em Londres.