sexta-feira, 29 de junho de 2012

Obesidade, epidemia da vida moderna

Militantes ambientalistas falam sobre a Rio+20

Dois relatórios

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 29/06/2012
Não acabou o suplício do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), na CPI do Cachoeira. O relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), pretende convocar mais quatro pessoas ligadas ao tucano para depor na próxima semana. São elas: Edivaldo Cardoso, ex-presidente do Detran de Goiás; Ana Paula Lourenço, Instituto Serpia de Opinião; Roseli Pantoja, sócia da Alberto & Pantoja Construções; e Rubmaier Ferreira de Carvalho, contador da Alberto & Pantoja Construções.

»    »    »

Os tucanos estão inconformados com esse rumo da CPI. Ontem, após a reunião da comissão, o líder do PSDB, Alvaro Dias (PR), anunciava que a alternativa será preparar um relatório paralelo e encaminhar para o Ministério Público. Para ele, o depoimento do jornalista Luiz Carlos Bordoni, que acusou Perillo de usar "dinheiro sujo" nas eleições de 2010, foi uma tentativa de camuflar "o cala boca que ele recebeu de Cachoeira". Segundo Dias, as datas dos depósitos não batem com a campanha eleitoral.

»    »    »

Odair Cunha endossou o depoimento de Bordoni e disse que a campanha de Perillo foi financiada com dinheiro do crime organizado. O governador repeliu a acusação e chamou o relator da CPI de "cabo de chicote". O goiano está processando Bordoni por calúnia, difamação e falso testemunho.

Refresco

Ex-chefe de gabinete do governador Agnelo Queiroz, Cláudio Monteiro resolveu abrir seus sigilos bancário, fiscal e telefônico, e prestar depoimento na CPI do Cachoeira, apesar de ter um habeas corpus do Supremo Tribunal Federal (STF) que lhe garantia o direito de ficar calado. Depois do depoimento, chorou ao ser elogiado pelo tucano paulista Carlos Sampaio: "Hoje, eu diria que vossa senhoria sai daqui com a cabeça erguida. Que a postura de vossa senhoria é a que se espera de alguém que tenha caráter", disse o deputado tucano. Citado em escutas telefônicas, Monteiro negou ligação com o contraventor Carlos Cachoeira.

Dispensados

Marcello Lopes, ex-assessor da Casa Militar do DF conhecido como Marcelão, que teria tentado a nomeação de um aliado de Carlos Cachoeira no Serviço de Limpeza Urbana da capital, e o ex-subsecretário João Carlos Feitoza foram dispensados de permanecer na sessão da CPI depois de anunciarem que permaneceriam calados. Os dois são acusados de integrar a suposta quadrilha do bicheiro em Brasília.

Dissenso

Não há consenso na base do governo sobre a posição do Brasil na crise paraguaia. Na Câmara, o deputado Darcísio Perondi, do PMDB-RS, foi à tribuna pedir a cabeça do ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota. Segundo o parlamentar gaúcho, o chanceler está reeditando a Aliança Tríplice, que massacrou o Paraguai no fim do século 19. "Argentina, Uruguai e Brasil, financiados pela Inglaterra, massacraram o povo paraguaio. E, agora, parece que vão fazer isso de novo", alertou.

Fora do sério

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) resolveu recorrer ao Código de Ética da Câmara para exigir do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), um pedido de desculpas ao colega Mendonça Prado (SE). Na quarta-feira, quando Mendonça Prado defendia a votação do projeto que fixa em 30 horas a carga horária dos enfermeiros, Maia saiu do sério, encerrou a sessão exaltado e chamou o parlamentar de "desqualificado".

Expresso Pequi

Foi assinado ontem o Estudos de Viabilidade para Implantação da linha do trem Brasília-Anápolis-Goiânia. O trecho compreende cerca de 190km e deverá ser servido por trens de velocidade média, ou seja, que atingirão 150km/h

Greve

A greve dos oficiais de chancelaria e outros servidores do Itamaraty deve ser encerrada ainda hoje. Os grevistas chegaram à conclusão de que é melhor fazer operação-padrão e continuar as negociações com o governo para melhorar os salários da carreira. Descobriram que estavam jogando a criança fora com a água da bacia.

Aliança

O PPS formalizou aliança com o PSB do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, para a eleição de 2012. Na coligação com 15 partidos, o líder da legenda na Câmara, deputado Rubens Bueno, será o candidato a vice. O governador Beto Richa (PSDB) e o presidente da Assembleia Legislativa, Valdir Rossoni (PSDB), apoiam a aliança.

Castigo

Cerca de 900 aposentados ou pensionistas da Universidade Estadual do Ceará tiveram garantido, há 26 anos, o piso salarial na Justiça trabalhista e até hoje não conseguiram ver o direito respeitado, apesar de o caso ter transitado em julgado no Supremo Tribunal Federal. Todo mês, os velhinhos vão à guerra pra receber.

Pesquisa

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulga hoje a segunda pesquisa CNI/Ibope do ano. O levantamento revela a avaliação dos brasileiros sobre o desempenho do governo federal e a atuação da presidente Dilma Rousseff. O Palácio do Planalto acredita que o controle da inflação e o nível de emprego vão garantir bons índices de aprovação, apesar da crise mundial.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

O "instinto animal"

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 28/06/2012
 
O governo federal anunciou ontem um novo pacote para estimular a economia do país, o PAC Equipamentos, um conjunto de compras no valor de R$ 8,4 bilhões, com preferência para empresas nacionais. "A crise europeia continua piorando e está deprimindo o crescimento da economia mundial", advertiu o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ao explicar que o objetivo do programa é ampliar investimentos, estimular a demanda e aumentar a confiança para acelerar o crescimento.

»   »   »

Excelente domadora de ministros e outros auxiliares diretos, a presidente Dilma Rousseff está em dificuldades para frear o "instinto animal" dos empresários, como diria Delfim Netto, numa conjuntura econômica adversa. Acabou o oba-oba dos grandes grupos empresariais com a Esplanada, e o mercado reage com cautela às iniciativas do Palácio do Planalto por causa da crise mundial.

»   »   »

As ações da Petrobras, sob a direção mais realista de Graça Foster, e da OMX, de Eike Batista, o rei Midas da economia brasileira, desabaram. Os bancos estão com medo de emprestar e o Banco Central, em dois dias, pôs R$ 10 bilhões no mercado. Os consumidores recorrem aos juros mais baixos para rolar dívidas, ao invés de comprar. Os sinais da desaceleração são teimosos. O jeito foi o governo ir às compras para manter a economia aquecida.

Caiu a ficha

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ontem fez uma revisão de suas previsões de crescimento para este ano, que baixaram de 3,7% para pelo menos 2,5%

Mui amigo// 

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), comandou ontem a obstrução à votação das novas regras de distribuição dos royalties do petróleo. Levou uma bola nas costas do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), que pôs na ordem do dia o relatório do deputado Carlos Zarattini (PT-SP) sobre a questão sem consultar o Palácio do Planalto.

Besouro

Candidato a prefeito de São Paulo, o ex-deputado federal Celso Russomanno, do PRB, virou um besouro na eleição: se dependesse dos técnicos, não poderia voar, como diria o Barão de Itararé. Pesquisa Datafolha divulgada ontem mostra que o candidato do PRB subiu de 21% para 24% de intenções de votos. O tucano José Serra ganhou um ponto, passando para 21%. Com 6% cada um, estão embolados Fernando Haddad (PT), Soninha Francine (PPS) e Gabriel Chalita (PMDB). Detalhe: o apoio do deputado Paulo Maluf ao candidato petista, segundo a pesquisa, tira mais voto do que dá.

Menos verbas

O Palácio do Planalto ainda não digeriu a aprovação pela Câmara de um índice de 10% do Orçamento da o Plano Nacional de Educação(PNE). O governo pretendia reajustar os gastos do setor de 5% para 7%, mas foi surpreendido na noite de terça-feira com a decisão elevando esses gastos ainda mais. Quem está no sal é o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que ficou com a tarefa de reverter a decisão no Senado. É mais lenha na fogueira da greve das universidades federais.

Pires na mão

O governo do Espírito Santo espera receber, entre setembro e outubro, a primeira parte do empréstimo de R$ 3 bilhões do BNDES como compensação pela unificação das alíquotas de ICMS para importações, que acabou com o Fundap, o fundo capixaba para importações. O acerto foi feito pelo governador Renato Casagrande, do PSB, com o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa.

Performance

O jornalista Luiz Carlos Bordoni foi a sensação na CPI do Cachoeira ontem. Disse que foi pago com recursos do caixa 2 da campanha do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), por serviços prestados em 2010. "O meu serviço limpo foi pago com dinheiro sujo." Bruna Bordoni, sua filha, recebeu R$ 45 mil da empresa Alberto e Pantoja, supostamente ligada a Carlinhos Cachoeira. Bordoni acusou os deputados de oposição de não quererem "esclarecer coisa alguma".

Combinado

Para a oposição, o depoimento de Bordoni estava combinado com o relator, deputado Odair Cunha (PT-MG). O presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), chegou a pedir que os parlamentares "respeitassem a testemunha" quando houve protestos contra o comportamento de Bordoni. Cunha pretende pedir ao Ministério Público Federal o indiciamento de Marconi Perillo por envolvimento com Cachoeira.

Fundo/ A Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados aprovou por unanimidade o Projeto de Lei n° 757/2011, de autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que cria a Política Nacional de Cultura, Educação e Cidadania.

Código/ O Senado deu início ontem à discussão da reforma do Código Penal, cujo anteprojeto foi entregue ao presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), pelo presidente da comissão de juristas que o elaborou, ministro Gilson Dipp. Segundo o jurista, "nenhum tabu foi deixado de lado".

Amazônia/ Os deputados federais Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Sibá Machado (PT-AC) presidem hoje o Seminário Educação, Ciência e Tecnologia na Amazônia, com a participação da presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, e do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, entre outros.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

A corda esticou

Brasília/DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense, 27/06/2012

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), esticou a corda com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O fato de lançar a candidatura de seu ex-secretário de Planejamento Geraldo Júlio (PSB) à Prefeitura do Recife já havia estressado a relação; a aliança com o ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), porém, transformou a tensão num cabo de guerra.

“O Lula vai lá no Recife fazer a campanha do Humberto Costa (PT). Guerra é guerra”, avisou o secretário de comunicação da Executiva do PT, André Vargas (PR), num diálogo com o deputado Sílvio Costa (PTB-PE), aliado de Campos. O petebista defende um chapão contra o PT e minimiza a influência do ex-presidente da República num confronto local com o governador pernambucano.

Mas não é somente o PT que ficou baratinado com a articulação feita por Campos. O PSDB e o PPS também, pois articulavam uma candidatura única e o nome do deputado Raul Henry (PMDB-PE), que aderiu a Geraldo Júlio, era o mais cotado para encabeçar a frente de oposição. Por ora, Daniel Coelho (PSDB) e Raul Jungmann (PPS) mantêm suas candidaturas, além de Mendonça Filho (DEM).

No ataque

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do caso Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), partiu para um ataque frontal ao governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB. Após o depoimento do arquiteto Alexandre Milhomen, contratado por Andressa Mendonça, mulher de Cachoeira, para decorar a casa na qual ela moraria provisoriamente, o petista disse que “a história da casa é para negar a relação do governador com Carlos Cachoeira”.

Gravações

“Quem comprou a casa foi o senhor Carlos Cachoeira, os áudios mostram isso, e aqui o arquiteto disse que quem o contratou foi a senhora Andressa”, acusa Odair Cunha. Para o relator, gravações interceptadas pela Polícia Federal indicam que os serviços prestados pelo arquiteto foram contratados em maio de 2010, antes que ocorresse a negociação do imóvel. “Quem contratou o arquiteto foi o senhor Carlos Cachoeira.” A decoração vultuosa custou R$ 500 mil.

Reitores 

A deputada federal Erika Kokay, do PT-DF, apresentou ontem projeto de lei que formaliza o sistema de eleição paritária nas universidades federais. O modelo garante participação igualitária de 1/3 a professores, alunos e servidores na escolha do reitor. É adotado por 37 das 54 instituições públicas brasileiras, entre elas a UnB. A atual legislação, porém, prevê que o voto dos docentes tem peso de 70%, enquanto o dos demais grupos vale 15%. “Queremos mudar”, defende Erika.

Impeachment

Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, o ex-presidente Collor de Mello saiu ontem em defesa do novo presidente do Paraguai, Federico Franco, do Partido Liberal Radical Autêntico, que assumiu o lugar do presidente deposto Fernando Lugo. Em discurso no plenário da Casa, disse que o impeachment seguiu rigorosamente os dispositivos da Constituição paraguaia. Collor de Mello renunciou ao mandato para evitar a aprovação de seu impeachment, em 1992.

Surpresa

Collor de Mello estranhou a atuação do Itamaraty e dos militares brasileiros no episódio. “Mantemos em Assunção uma embaixada bem equipada e uma missão militar eficiente. Na situação atual, parece que o governo brasileiro foi tomado de surpresa pela ação do Congresso paraguaio. Duas explicações são possíveis. Ou nossa representação não informou adequadamente (…) ou os centros de poder em Brasília não souberam tomar decisão (…).

Dançou/ O presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), marcou para 4 de junho a votação do pedido de cassação do senador Demóstenes Torres (GO), acusado de quebra de decoro parlamentar e da ética política. O relator é o senador Pedro Taques (PDT-MT), um dos mais ativos parlamentares da CPI do caso Cachoeira.

Ordem/ O presidente-fundador da Academia Brasileira de Direito Constitucional (Abdconst), Flávio Pansieri, criticou o projeto de lei de autoria do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que acaba com o Exame de Ordem para os bacharéis em direito que desejam se tornar advogados. Segundo Pansieri, o fim da obrigatoriedade do exame é inconstitucional.

Grifes/ A CPI do Trabalho Escravo convocou as marcas Zara, Pernambucanas, Collins, Marisa, C&A e Gregory para explicar a suposta presença de estrangeiros e a exploração de trabalho degradante em suas cadeias produtivas. Hoje, na Câmara dos Deputados.

Asma/ O Sistema Único de Saúde (SUS) está distribuindo gratuitamente, desde 4 de junho, três remédios para asma. Os medicamentos estão disponíveis nas 20 mil farmácias do programa Aqui Tem Farmácia Popular.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Golpe quase perfeito

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 26/06/2012
A Suprema Corte do Paraguai ratificou a decisão do Congresso daquele país que destituiu o presidente Fernando Lugo. Ou seja, consolidou politicamente na Presidência o vice Federico Franco, do Partido Liberal Radical Autêntico. O velho Partido Colorado, o alto clero da Igreja Católica, os chefes militares e os fazendeiros paraguaios — e brasiguaios — apoiam o golpe constitucional. Sim, golpe, pois não houve o "devido processo legal". A cassação foi em rito sumário.

» » »

A destituição de Lugo tem suas semelhanças institucionais com o que aconteceu no Brasil em 31 de março de 1964, quando o senador Auro de Moura Andrade (PSD-SP), presidente do Congresso Nacional, declarou vaga a Presidência ocupada por João Goulart, lembra-me Gilvan Cavalcanti de Melo, um velho amigo. "Alegou que o presidente havia saído do Brasil e que o comunicado de Darcy Ribeiro, chefe da Casa Civil, afirmando que ele se encontrava no exercício da função, era mentiroso. Andrade empossou o presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli, como governante provisório (...) Em seguida, mandou desligar os microfones e as luzes rapidamente, sob protestos de Tancredo Neves. Entrava em ação a "escola" do golpe legal."

» » »

Por que, então, "quase perfeito"? Ora, até agora, Franco não obteve nenhum respaldo internacional. Somente o Vaticano apoia o novo governo, num acerto de contas com o ex-bispo mulherengo que se elegeu presidente da República. Sem muito alarde, a presidente Dilma Rousseff intercedeu perante os Estados Unidos e a União Europeia para que o novo governo não fosse reconhecido, e conseguiu que a Espanha voltasse atrás nessa decisão.

Calendário

A reunião da Unasul, na sexta-feira, pode consolidar o isolamento internacional do Paraguai. Será difícil reverter a destituição de Fernando Lugo, mas é possível manter o calendário eleitoral e eleger um novo presidente daqui a nove meses, num pleito limpo e monitorado. Para quem viveu tantos ciclos autoritários, não é pouca coisa.

Virou praxe

Nos últimos 20 anos, 16 presidentes da República não terminaram os mandatos na América Latina, todos dentro da legalidade constitucional. O ex-prefeito carioca Cesar Maia, observador atento da região, fez a lista no seu ex-blog: "Equador: Bucaran, Alarcon, Mauad e Gutierrez. Argentina: Alfonsín e De La Rua. Peru: Fujimori. Brasil: Collor. Paraguai: Raul Cubas e Fernando Lugo. Honduras: Zelaya. Bolívia: Sanchez de Lozada e Mesa. Haiti: Jean-Bertrand Aristide. Venezuela: Carlos Andrés Perez. Guatemala: Jorge Serrano".

Quem ficou

"FHC, Fujimori e Menem inauguraram um ciclo em que os presidentes se elegem com uma regra constitucional e, uma vez eleitos, mudam essa regra para se reeleger", espicaça Cesar Maia. Chávez aprimorou o processo e criou o "golpe constitucional". Ortega, na Nicarágua, Morales, na Bolívia, e Correa, no Equador, seguiram a receita.

Crise

A economia paraguaia está em recessão e as projeções otimistas do governo falam em crescimento de 1,5%

Recado//

Desde domingo, uma inédita força-tarefa de1.100 militares e 210 viaturas dos Exércitos do Brasil e da Argentina realiza manobras conjuntas em Apóstoles, na região das Missões. A Operação Guarani é um exercício combinado de combate convencional, com participação da 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, de Santiago (RS), e da Brigada de Infantaria de Monte XII, da Argentina.

Capacitação/ O Senai vai aproveitar a experiência do Massachusetts Institute of Technology (MIT), considerado o melhor em pesquisas tecnológicas do mundo, para capacitar técnicos e professores. As duas instituições assinam acordo de cooperação hoje, em Brasília. O Senai aplicará US$ 180 mil anuais na execução do acordo.

Herzog/ O presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, lamenta a decisão do governo brasileiro de não reabrir a ação criminal sobre a morte do jornalista Vladimir Herzog devido à Lei de Anistia. "No caso Herzog, o que a família pretende é muito pouco: apenas um pedido de desculpas do Estado brasileiro e o reconhecimento oficial de que Vladimir Herzog foi assassinado por seus captores, no cárcere do DOI-Codi paulista."

Fôlego/ Os auditores-fiscais vão criar um fundo com R$ 20 milhões para bancar os salários, caso o ponto seja cortado. O objetivo é não ceder às pressões do governo para voltar ao trabalho. O retorno só ocorrerá após negociação com a categoria. O fundo servirá para sustentar uma queda de braço que começou no último dia 18.

Viração

Mudança de rumos na política de Pernambuco. O senador Jarbas Vasconcelos, do PMDB-PE, decidiu apoiar o pré-candidato do governador Eduardo Campos (PSB), Geraldo Júlio, à prefeitura do Recife. O deputado federal Raul Henry (PMDB) se retirou da disputa. Raul Jungmann, pré-candidato do PPS, hoje discute com o deputado Roberto Freire (SP) o que fazer. O PCdoB aderiu. O senador Humberto Costa (PT), que ontem brilhou no Conselho de Ética do Senado ao pedir a cassação do senador Demóstenes Torres, foi confirmado como candidato da legenda pela cúpula do partido, mas está cada vez mais isolado.

Vermelho

Os cantores Ângela Maria e Cauby Peixoto vão receber a medalha Mérito Legislativo, a maior honraria com que a Câmara dos Deputados distingue pessoas ou instituições, nacionais ou estrangeiras, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil. O presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS), mandou estender um tapete vermelho para a dupla de Conceição, o maior sucesso dos dois.

Rubem Alves - 3 a 1 (14/12/2011)

Judo newaza techniques series

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Pra cima de Perillo

 

 Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 24/06/2012
A CPI mista do caso Cachoeira volta a funcionar a todo vapor nesta semana. O foco do relator da comissão, Odair Cunha (PT-MG), que esteve duas vezes em Goiânia na semana passada, é cercar e aniquilar politicamente o governador de Goiás, Marconi Perillo. Desde a instalação da CPI, esse é o objetivo principal do PT. Dos nove depoimentos marcados, seis são de pessoas supostamente capazes de vincular o governador tucano ao contraventor.

Os três primeiros depoimentos foram motivados pela controversa venda da casa onde Cachoeira foi preso em fevereiro deste ano, que pertenceu ao governador Perillo. Serão ouvidos na terça-feira o ex-assessor de Perillo Lúcio Fiúza Gouthier, que presenciou o pagamento do imóvel; Écio Antônio Ribeiro, sócio da empresa Mestra Administração e Participações, em cujo nome a casa foi registrada; e Alexandre Milhomen, arquiteto que reformou a residência.

Na quarta-feira, será a vez de Jayme Eduardo Rincón, presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), sócio da Rental Frota Ltda, que recebeu R$ 600 mil de Cachoeira, supostamente em pagamento de 28 veículos usados; Eliane Gonçalves Pinheiro, ex-chefe de gabinete de Perillo, que teria repassado informações sobre operações policiais para quadrilha; e Luiz Carlos Bordoni, que diz ter recebido dinheiro da Alberto & Pantoja Construções para prestar serviço à campanha do tucano ao governo de Goiás em 2010.

Outros

Mais três depoimentos estão marcados para quinta-feira, esses relacionados ao governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). Estão convocados Cláudio Monteiro, citado em escutas telefônicas e ex-chefe de gabinete do governador do DF; Marcello de Oliveira Lopes, o Marcelão, ex-assessor da Casa Militar do DF; e João Carlos Feitoza, o Zunga, ex-subsecretário de Esportes do DF. Todos suspeitos de atuar a favor dos interesses de Cachoeira no GDF.

Televisão
A novela sobre a redistribuição do fundo partidário e tempo de tevê entre os partidos, em razão da criação do PSD, deve ter um desfecho na quarta-feira, três dias antes do fim do prazo para as convenções eleitorais. Segundo o relator, ministro Dias Toffoli, o julgamento não ocorreu na semana passada porque a pauta do STF estava congestionada.

Salários

O Palácio do Planalto vai jogar pesado para não deixar prosperar na Câmara a PEC nº 5/2011, emenda constitucional que acaba com a prerrogativa de o Poder Executivo cortar valores acima do teto de R$ 26.723,13

Faltou combinar

É pura verdade a preferência da presidente Dilma Rousseff pela candidatura do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, à Presidência do Senado. Mas isso não significa que a eleição esteja no papo. O senador José Sarney (PMDB-AP), atual presidente da Casa, prefere Lobão na Esplanada. E o líder do PMDB, Renan Calheiros, do PMDB-AL, não absorveu o "dedazo". Um "tercius" não pode ser descartado.

Ministério

A candidatura do ministro Edison Lobão a presidente do Senado tem outro empecilho: a sucessão no ministério de Minas e Energia. A presidente Dilma Rousseff tem preferência pelo nome do atual secretário executivo, Márcio Zimmermann, o que faria o PMDB perder o controle da pasta.

Investigações

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve concluir nesta semana o julgamento que define os poderes de procuradores e promotores fazerem investigações penais para complementar o trabalho da polícia. Os votos dos ministros Cezar Peluso e Ricardo Lewandowski foram favoráveis à restrição dos poderes do Ministério Público. O tema é muito polêmico no STF.

Pão e água

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), criticou a avalanche de emendas liberadas pelo governo a parlamentares da base aliada. O PMDB foi o maior contemplado, com R$ 10,8 milhões em emendas. Em segundo, vieram PSB e o PT, com cerca de R$ 5 milhões cada. Os partidos de oposição ficaram à mingua: o PPS teve R$ 349 mil; o PSDB, R$ 1.800; e o DEM, zero.

Vice

A aliança do PTB com o PT na disputa pela Prefeitura de São Paulo depende do advogado Luiz Flávio D"Urso retirar sua candidatura para ser o vice na chapa de Fernando Haddad. Houve conversa do presidente estadual do PTB, Campos Machado, com o presidente estadual do PT, deputado Edinho Silva, sobre o assunto, mas Haddad está com o pé atrás: D"Urso é estreante na política eleitoral.

Cachoeira

O governador Jaques Wagner transfere seu gabinete amanhã para a cidade de Cachoeira, a 111 quilômetros de Salvador, no Recôncavo Baiano. Pelo quinto ano consecutivo, Cachoeira passa a ser sede do governo em homenagem à Guerra da Independência da Bahia.

sábado, 23 de junho de 2012

Adeus, senhor presidente!

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 23/06/2012
O título veio emprestado do livro do economista chileno Carlos Matus, ex-ministro do Planejamento do socialista Salvador Allende. É um clássico da administração pública, ou melhor, do ato de governar, com base na experiência de um governo popular que acabou destituído pelo general Augusto Pinochet, em 1973. A referência vem ao caso a propósito do impeachment do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, aprovado ontem pelo Senado, um dia depois de a Câmara de Deputados ter tomado a mesma decisão.

» » »

Chanceleres de oito países da América Sul estão em Assunção para tentar reverter a destituição de Lugo, classificada de "golpe parlamentar" pelos demais governos da região. A rapidez do processo atropelou o direito de defesa e a Constituição paraguaia. Lugo recorreu à Suprema Corte do país. Está instalada a mais grave crise institucional do continente desde a tentativa de destituição de Hugo Chávez na Venezuela, em 2002.

» » »

Lugo acatou a decisão como "um mecanismo constitucional", mas anunciou que, "a partir de outras instâncias organizacionais", pretende resistir "para que o âmbito democrático e participativo do Paraguai vá se consolidando". Segundo ele, "não é mais um golpe de Estado contra o presidente, é um golpe parlamentar disfarçado de julgamento legal".

Isolamento

Hugo Chávez, da Venezuela; Rafael Correa, do Equador; Evo Morales, da Bolívia; Cristina Kirchner, da Argentina; e a presidente Dilma Rousseff estão com Lugo, com quem assumiram o compromisso de defender sua permanência no poder. Porém, o impeachment foi aprovado por 39 senadores contra 4, com 2 abstenções. Na véspera, a votação na Câmara foi um massacre: 70 a 1. O que pode levar um presidente da República a ter tão pouco apoio no Congresso, mesmo com toda a solidariedade internacional? E se esse isolamento se confirmar na magistratura, ratificando a decisão?

O conspirador

Lugo foi desestabilizado pelo Partido Liberal Radical Autêntico, do vice-presidente Federico Franco, que retirou apoio à coalizão do presidente socialista e articulou o impeachment no parlamento com o propósito de assumir ele próprio o poder, o que aconteceu ontem mesmo no Congresso. O velho Partido Colorado e o alto clero da Igreja Católica, que não suporta o ex-bispo, apoiaram o golpe parlamentar. O Paraguai sempre foi um país dominado por caudilhos, chefes político-militares e latifundiários.

A resistência

Ricardo Canese, secretário-geral da Frente Guasu, que elegeu Lugo num pleito solteiro — como foi a eleição do ex-presidente Fernando Collor de Mello, o grande "case" de impeachment na América do Sul —, convocou manifestações pacíficas em todo o país e uma greve geral. Caso a Suprema Corte decida manter o impeachment, para seguir no poder, Lugo precisaria do apoio dos militares para fechar o Congresso e convocar novas eleições, além de cassar os magistrados que votaram a favor do impeachment. Vai ser difícil.

Nova tática

PMDB, DEM, PSDB e PPS se reúnem hoje no Recife para mudar de tática. A opção por lançar vários candidatos virou um erro crasso. Só tinha sentido tendo o prefeito João da Costa (PT) como candidato à reeleição. O lançamento da candidatura do senador Humberto Costa (PT) e de um candidato do PSB, o ex-secretário estadual de Planejamento Geraldo Júlio, praticamente afastaria do segundo turno a oposição. "A saída é fazer um chapão da oposição em torno de um só candidato", argumenta Raul Jungmann, do PPS, que articula a frente de oposição.

Aumentos

O deputado José Antonio Reguffe, do PDT-DF, criticou a PEC aprovada em comissão especial que aumenta o salário dos parlamentares e acaba com o teto salarial do serviço público. "É uma vergonha para o parlamento. Só vai aprofundar ainda mais o já enorme fosso que separa o parlamento de quem ele representa", argumenta.

Gasolina

A Petrobras anunciou ontem um reajuste de 7,83% para a gasolina e de 3,94% para o diesel. O governo zerou a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para os dois combustíveis a fim de evitar o aumento nas bombas. A conferir neste fim de semana. A gasolina paga de Cide R$ 0,91

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O puxão de orelha

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 22/06/2012
O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o coreano Ban Ki-moon, levou um puxão de orelha da presidente Dilma Rousseff e ontem fez rasgados elogios à forma como o governo brasileiro vem conduzindo as negociações na Rio+20. Na véspera, ele havia criticado o documento final negociado pelo Itamaraty, engrossando o coro dos ativistas ambientais insatisfeitos com o texto.

» » »

As declarações de Ban Ki-moon, que classificou de pouco ambicioso o documento, provocaram a ira de Dilma e alimentaram os boatos de que o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, estaria com um pé fora do Itamaraty. A greve de oficiais de chancelaria pelas embaixadas e consulados brasileiros pelo mundo afora reforçou o discurso de que faltaria liderança ao chanceler brasileiro. À tarde, o Palácio do Planalto desmentia as notícias de que o ministro das Relações Exteriores balançava no cargo.

» » »

Na verdade, Dilma gostou da conversa que Patriota teve com o secretário-geral da ONU, transmitindo-lhe a insatisfação da presidente com suas declarações. Em menos de 24 horas, o diplomata coreano virou o disco: a ONU distribuiu um texto oficial no qual afirma que "o secretário-geral está confiante de que o documento final da Rio+20 fornece uma base sólida para promoção do desenvolvimento sustentável".

Fim de papo

Apesar das críticas de gregos e baianos, sem falar dos índios, o documento da Rio+20 é considerado "imexível" pela ONU e deve ser aprovado sem alterações. Sem a presença da troika que hoje dá as cartas na economia mundial, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e o presidente chinês, Hu Jintao, não há a menor possibilidade de reabrir as discussões com êxito. Seria um tiro no escuro.

Autoelogio

O ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, considerou natural e minimizou as críticas dos ambientalistas ao documento oficial da Rio+20. "O governo brasileiro criou a conferência mais inclusiva da história da ONU. Agora, se você juntar ONGs de 193 países, é claro que elas terão dificuldades em encontrar um denominador comum", disse.

Emendas//

O presidente do PSol, Ivan Valente, e o líder na Câmara, Chico Alencar (RJ), vão entrar com um pedido de cassação de mandato por quebra de decoro no Conselho de Ética da Câmara contra os deputados Marcos Medrado (PDT-BA) e João Carlos Bacelar (PR-BA). O motivo é o uso indevido das emendas parlamentares ao Orçamento.

Da morte

O senador Aécio Neves, do PSDB-MG, criticou ontem o centralismo do governo, que tem gerado atrasos em obras e investimentos importantes para o país. "Dos R$ 4 bilhões prometidos pela presidente para obras de infraestrutura em Minas — a maior parte rodoviária —, apenas R$ 17 milhões foram autorizados até o momento. Uma dessas obras é a duplicação da BR-381, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares. No entanto, as melhorias da chamada "Rodovia da Morte" ainda não tiveram projeto iniciado."

Tudo bem

Como diria Tom Jobim, o Brasil não é para amadores. O Palácio do Planalto comemora o resultado do índice de desemprego, que caiu para 6% em maio, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), apesar da desacelaração da economia registrada no primeiro semestre. Também houve elevação na renda, a maior expansão para o mês verificada desde o início da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), iniciada em março de 2002: subiu 6,2%

Arapongas

A presidente Dilma Rousseff foi surpreendida pela manobra da Câmara de Deputados do Paraguai que aprovou a abertura de um processo de impeachment do presidente Fernando Lugo por "mau desempenho de suas funções". A medida foi aprovada por 73 votos contra um e agora precisa ser votada no Senado. O pretexto foi o  resultado da violenta desocupação de camponeses na região de Curuguaty, na semana passada. Na operação, seis policiais e 11 agricultores locais morreram. O serviço secreto brasileiro não sabia de nada.

Confronto

O ex-bispo Fernando Lugo revelou-se um Dom Juan após assumir a Presidência paraguaia em 2008, o que lhe trouxe grande desgaste, além da má gestão. O Partido Liberal Autêntico do Paraguai deixou a base do governo e apoiou o pedido do opositor Partido Colorado. Seus quatro ministros vão renunciar aos cargos. Manifestantes estão se mobilizando em diferentes pontos do país e grupos sem terra acusam o Estado de ter cedido ilegalmente grandes territórios a latifundiários, muitos deles, brasileiros.

Candidato/ O governador Eduardo Campos deve anunciar hoje o ex-secretário de Planejamento Geraldo Júlio de Mello Filho como candidato do PSB à prefeitura do Recife, apesar dos apelos do candidato do PT, senador Humberto Costa, para que mantenha a frente entre os dois partidos.

Gripe/ Os três estados da Região Sul registram, este ano, 38 mortes provocadas pelo vírus influenza H1N1, sendo 28 pessoas em Santa Catarina, cinco no Paraná e cinco no Rio Grande do Sul. São 309 os casos de gripe suína confirmados por exames de laboratório em Santa Catarina, 64 no Paraná e 26 no Rio Grande do Sul.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

A banca amarelou

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 21/06/2012
O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, viajou para a Conferência Anual do Banco de Compensações Internacionais (BIS), que começa hoje na Suíça, convencido de que deve reduzir a previsão de crescimento do Produto Interno bruto (PIB) deste ano para algo em torno de 2,5%. É uma avaliação muito otimista do ponto de vista do mercado, que começa a revisar suas contas para 1,5%. Mas puxa para baixo as ufanistas projeções do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que talvez seja o único economista do país a acreditar que o PIB de 2012 pode chegar aos 4%.

» » »

Com a indústria brasileira quase em recessão, os esforços do governo para estimular a economia via expansão do crédito e abertura das burras do Tesouro não deram até agora os resultados esperados. Mas provocaram um forte debate sobre política econômica. Há um consenso de que os juros precisam baixar, mas a partir daí o pau quebra entre os economistas. Desenvolvimentistas dão as cartas no setor público; os monetaristas, na iniciativa privada. Resultado: expectativas confusas, mais para pessimistas.

» » »

É nesse cenário que a banca resolveu puxar o freio de mão para defender o patrimônio. Banqueiros não têm o "instinto animal" dos empresários, só agem com racionalidade. Com exceção dos bancos de investimentos JP Morgan e BTG Pactual, com patrimônio líquido superior ao crédito, grandes bancos do país já estão alavancados: a Caixa Econômica Federal emprestou 13 vezes o patrimônio; o Banco do Brasil, o Votorantim e o Safra, sete; HSBC, seis; Itaú, Bradesco, Banrisul e BNB, quatro; BMG e Santander, três.

Sem asa

O volume de cheques devolvidos no país cresceu 0,2 ponto percentual em maio, na comparação com o mesmo período de 2011, e fechou o mês em 2,2%

Mensalão

Com o braço esquerdo quebrado e tendo ficado licenciado do cargo por alguns dias na semana passada, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, participou ontem à tarde da sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF). Está se recuperando da cirurgia no braço: "Andaram falando por aí que eu não estaria no mensalão. Mas estarei firme e forte. Só com a mão mais pesada", brincou o procurador, que será o responsável por sustentar a acusação contra os réus do processo.

De saída

O presidente do Banco do Nordeste, Jurandir Santiago, já arruma as gavetas para deixar o cargo. Diretor Administrativo e de Tecnologia da Informação, Stélio Gama deve assumir interinamente o comando da instituição.

Hangar

Receita Federal do Brasil e a Polícia Federal deflagraram ontem operação conjunta para reter 12 aeronaves de luxo e executar mandados de busca e apreensão de documentos, computadores e componentes de armazenamento eletrônicos de dados em hangares e empresas do meio aeronáutico. As ordens judiciais foram concedidas pela Justiça Federal. O valor total estimado das aeronaves ultrapassa os R$ 560 milhões.

Fora do ar

O Banco Mundial retirou do ar a página na internet em que citava o banqueiro Daniel Dantas como um dos integrantes da lista de envolvidos em 150 casos internacionais de corrupção. A medida foi tomada depois que Dantas apresentou notificação à Secretaria do World Bank Group, que constatou o erro e tirou a informação do site. Daniel Dantas sustenta que a operação Satiagraha, da Polícia Federal, comandada pelo delegado e hoje deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), "caracterizou-se por estar ancorada em provas fraudadas e crimes financeiros inexistentes".

Agência

Parlamentares britânicos querem que o senador Rodrigo Rollemberg, do PSB-DF, assuma a Presidência da Globe International, organização que reúne parlamentares do mundo inteiro comprometidos com o meio ambiente. Rollemberg foi o relator do texto final da 1ª Cúpula Mundial de Legisladores, que antecedeu a Rio+20.

Crônicas/ Uma graduada funcionária do Ministério da Agricultura, prestes a se aposentar, decidiu escrever um livro com o sugestivo título: Os filhos do sofá. Tem ex-ministro com a pulga atrás da orelha.

Quentinha/ O canteiro de obras do Jardins Mangueiral será o primeiro do país a receber o Selo de Qualidade da Alimentação, hoje, às 10h, uma parceria dos sindicatos patronal e dos trabalhadores. Autor da ideia, o deputado federal Luiz Pitiman (PMDB-DF) resolveu apresentar projeto para tornar a iniciativa uma lei de âmbito nacional.

Rede/ O Interlegis está criando uma rede social do Legislativo, mais ou menos nos moldes do Facebook. O nome será escolhido em votação pela internet. Será uma ferramenta de trabalho e interação com a sociedade.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Mulheres difíceis

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 20/06/2012
Durou menos de 48 horas a chapa montada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para levar o ex-ministro da Educação Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo. A deputada Luiza Erundina, ex-prefeita da cidade, indicada pelo PSB, não suportou ver a foto de Lula e seu companheiro de chapa sorridentes na casa do ex-prefeito Paulo Maluf, seu maior desafeto na política, para lhe agradecer o apoio do PP.

» » »

Essa é a terceira grande barbeiragem de Lula na condução da política do PT na capital paulista. A primeira foi a forma como afastou a senadora Marta Suplicy (PT) da disputa pela vaga de candidata petista, embora as pesquisas mostrassem que ela largaria em igualdade de condições com o tucano José Serra. A segunda foi apostar na aliança com o prefeito Gilberto Kassab (PSD), que vai de vento em popa no interior paulista, mas micou na capital. Tão logo Serra anunciou que seria candidato, Kassab pulou do barco petista para o tucano.

» » »

Assim como minimiza a importância de Marta Suplicy na campanha, a cúpula petista não vai rezar uma missa pela saída de Erundina. Considera mais importante somar os tempos de televisão do PSB, que abriu mão de indicar outro nome para a chapa, e do PP, que pode até emplacar alguém na vice. Nos cálculos de Lula, sua própria presença nos palanques funcionaria como uma espécie de teflon para neutralizar a rejeição do eleitorado tradicional do PT à presença de Paulo Maluf na campanha. As pesquisas é que dirão.

Sangue frio

O tucanato paulista tenta manter o sangue frio com o resultado da pesquisa Datafolha que mostra José Serra estacionado nos 30% de intenção de votos. Avalia que o resultado é muito bom, diante do número de candidatos. Se a eleição fosse polarizada por dois candidatos, aí sim, seria preocupante. Imaginam que os votos antipetistas de Celso Russomano (PRB) e de Soninha Francine (PPS), com 21% e 8%, respectivamente, migrariam por gravidade para Serra no segundo turno. Também a conferir.

Selvagens//

Os índios viraram uma atração à parte na Rio+20. Incentivados pelos ambientalistas, assumiram a vanguarda dos protestos no centro do Rio de Janeiro, onde fica a sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que financia as obras de construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Xingu.

Royalties

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (foto), do PT-RS, quer pôr em votação o relatório do deputados Carlos Zarattini (PT-SP) sobre os royalties de petróleo até 17 de julho, quando começa o recesso parlamentar. As bancadas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, que estão isoladas, tentam evitar a votação. Não há acordo possível com os deputados capixabas e fluminenses sobre o assunto, pois a maioria no Congresso quer que todos os estados e municípios tenham direito aos royalties graças à redução da participação especial dos dois estados.

Aumentos

O Ministério do Planejamento pretende tratar de forma diferenciada os professores universitários e os militares, que terão reajustes maiores do que os demais servidores. O percentual está sendo negociado com o Ministério da Fazenda, mas quem vai bater o martelo é a presidente Dilma Rousseff, até a próxima semana.

Greves

Com medo de perder o controle sobre os sindicatos de servidores, o PT aderiu à greve dos servidores federais, à reboque dos sindicalistas ligados ao PSol, PSTU e PCO. Põem a culpa do impasse nas negociações com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que joga duro com os sindicatos para conter a elevação do gasto com pessoal.

Anistia

Em baixa no Palácio do Planalto desde quando foi desautorizado pelo porta-voz da Presidência — e acusado de "frouxo" pelos ruralistas por não ter pedido demissão —, o Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, prepara uma espécie de anistia para os produtores endividados. A ideia é criar uma linha de financiamento no Banco do Brasil para rolar o calote. A propósito, a bancada ruralista quer baixar os juros dos créditos oficiais dos 6,75% atuais para 4,5%. A agricultura familiar teria os juros reduzidos de 4,5% para 3%.

Cadastro/ O ministro da Fazenda, Guido Mantega, já tem quase pronto o decreto que vai regulamentar o Cadastro Positivo. Criado no ano passado, faz parte do cardápio de medidas adotadas pelo governo para estimular o consumo. A implantação do cadastro depende também de uma resolução do Conselho Monetário Nacional para enquadrar os bancos.

Audiência/ O CNJ promove hoje audiência pública para discutir a cessão de procuradores federais para atuar em gabinetes de ministros e desembargadores. A discussão no CNJ foi provocada pela OAB-RJ, cujo presidente, Wadih Damous, considera o desvio de função uma quebra de imparcialidade.

Biomas/ A Finatec (Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos) da UnB está bombando na Rio+20 com a exposição Biomas Brasileiros. O projeto foi selecionado pela Unesco em agosto de 2011 e retrata os diversos biomas nacionais: amazônia, mata atlântica, cerrado, pantanal, caatinga, pampas e ambientes costeiros.

Uma eleição aberta

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 19/06/2012
O ex-governador José Serra (PSDB) era o favorito absoluto na disputa pela prefeitura de São Paulo. A expectativa de poder que gerou ao entrar no processo dificultava a vida do candidato petista Fernando Haddad, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tirou da cartola, ou melhor, do Ministério da Educação. Depois da pesquisa Datafolha divulgada ontem, não é mais. Com uma rejeição de 32%, Serra estacionou nos 30% de intenções de voto dos paulistanos.

» » »

Os petistas comemoraram a subida de Haddad. Graças à exposição ao lado de Lula, passou de 3% para 8%, embolando com o segundo pelotão: Soninha Francine (PPS), que passou de 7% para 8%; Netinho de Paula (PCdoB), que caiu de 10% para 7%; Gabriel Chalita (PMDB), de 7% para 6%; e Paulinho da Força (PDT), de 8% para 5%.

» » »

Ainda é cedo, porém, para concluir que Haddad tem um lugar garantido no segundo turno. Celso Russomanno (PRB) subiu de 19% para 21%, ou seja, fortaleceu-se como principal adversário de Serra. Trocando em miúdos, o resultado da pesquisa foi bom para Russomanno, Haddad e Soninha; ruim para Netinho, Chalita e Paulinho. E péssimo para Serra, por causa de sua rejeição, que só perde para Netinho, com 39%.

Crise

A pesquisa explica a ameaça feita por José Serra de desistir da candidatura se os vereadores do PSDB não se coligarem com o PSD. Serra começa a enfrentar dificuldades para ampliar as alianças, enquanto Haddad rompeu o isolamento em que estava, conseguindo consolidar a coligação com o PSB, que indicou a deputada e ex-prefeita Luiza Erundina para vice. O apoio do ex-prefeito Paulo Maluf (PP), formalizado ontem, aumentou o estresse na campanha de Serra. Haddad já tem mais tempo de televisão que o tucano.

Pressões

As pressões para a remoção de outras candidaturas deve aumentar. A situação de Netinho de Paula (PCdoB) está insustentável. A cúpula da legenda negocia uma coligação com Chalita, mas seu desempenho na pesquisa levou água para o moinho de Haddad. Nove entre 10 militantes do PCdoB preferem um acordo com o PT.

Não abre

Soninha Francine (PPS) não quer nem saber de conversa sobre a retirada de sua candidatura para apoiar José Serra. Amigo do tucano, o presidente da legenda, Roberto Freire, avisou o aliado que essa possibilidade não existe. Com pouco tempo de televisão e sem recursos, Soninha faz campanha nas redes sociais e se mantém na disputa.

Quórum//

 Hoje tem reunião da Comissão Mista do Orçamento, que há dois meses não aprova nada por falta de articulação política do governo. Está na ordem do dia o parecer do relator, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), que corre contra o relógio para aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO).

Frente
Um grupo de deputados e senadores criará hoje a Frente Parlamentar Mista para o Fortalecimento da Gestão Pública. Um dos articuladores é o senador tucano Aécio Neves, ex-governador de Minas, que vem criticando o desempenho administrativo do governo. Segundo o parlamentar, a presidente Dilma Rousseff tem adotado medidas casuísticas para enfrentar os problemas em vez de promover reformas.

É a hora

Brasil, Rússia, Índia, África do Sul e China pressionam os integrantes do G-20, reunidos no México, para ter mais voz no Fundo Monetário Internacional. Cada um deve aportar US$ 10 bilhões na instituição, com exceção da China, que pode entrar com US$ 60 bilhões

Telinha

É grande a expectativa dos candidatos às eleições municipais em relação à decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o tempo de televisão e rádio e os recursos do Fundo Partidário que cabem ao PSD, do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Caso conquiste o horário eleitoral proporcional ao número de deputados federais, bem como o dinheiro da reserva, o cacife da legenda subirá nas negociações de coligações partidárias. Quem descerá ladeira abaixo, porém, será o DEM, cuja sobrevivência após as eleições estará por um fio.

Investimentos/ O governo corre para anunciar o Plano Nacional de Saneamento. Quer duplicar os domicílios ligados à rede de esgoto até 2030. Estão previstos investimentos de R$ 420 bilhões nos próximos 18 anos, o equivalente a R$ 23 bilhões por ano.

Rádio/ A Rádio Cúpula dos Povos, que teve a transmissão ameaçada pela Anatel por falta de licença para funcionamento, será mantida no ar. A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) assumiu a emissora pirata, que funcionará até 23 de julho com autorização da Anatel.

domingo, 17 de junho de 2012

Nós e eles

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 17/06/2012
Desde ontem, o Brasil protagoniza as negociações para a elaboração do documento-base da Rio+20, que até agora foram um grande fracasso, embora o encontro de cúpula comece na quarta-feira. O maior problema é estabelecer os valores para a criação de um fundo para o desenvolvimento sustentável. O Brasil e alguns países em desenvolvimento, para viabilizar a proposta, propõem um aporte inicial de US$ 30 bilhões, a partir de 2013, chegando a US$ 100 bilhões, em 2018.

A criação desse fundo está sendo detonada por negociadores dos Estados Unidos, do Canadá, da Austrália, do Japão e da Europa. Alegam dificuldades financeiras. Os norte-americanos e europeus, por causa da crise econômica; já os japoneses, devido aos estragos do tsunami de 2011, inclusive o acidente nuclear.

A União Europeia (UE) joga mais pesado contra a criação do fundo. Seus representantes querem um documento curto e grosso, exequível, sobre o desenvolvimento sustentável do planeta. Vem daí o fato de menos da metade do texto inicial em negociação ter sido acordada até agora. Os países membros da UE já têm legislação ambiental avançada. Como não houve acordo até agora, o Itamaraty já admite um texto sem referência ao montante do fundo para evitar o fracasso total da conferência de chefes de Estado.

Sem rapapé

A presidenta Dilma Rousseff assumirá a Presidência da Rio+20 a partir de quarta-feira, comandando as reuniões plenárias até o encerramento.

Misturado

Muito grato ao prefeito Gilberto Kassab (PSD) pelo apoio que recebe, o candidato tucano à prefeitura de São Paulo, José Serra, deu um ultimato ao diretório municipal de seu partido: quer um chapão com todos os vereadores que apoiam, não importa a legenda. Candidatos proporcionais tucanos rejeitam a coligação com o PSD porque querem levar vantagem na disputa graças ao tempo de televisão. Como se sabe, até hoje a Justiça Eleitoral não decidiu qual será o tempo de televisão do PSD.

Vazio

O Congresso entrará em recesso informal durante esta semana. Além da participação de muitos parlamentares em eventos da Rio+20, os festejos juninos do Nordeste vão mobilizar deputados e senadores da região. As articulações eleitorais dos partidos também. Além disso, não tem reunião da CPI do Cachoeira.

Mariscos

Na corda bamba, o presidente da Valec, José Eduardo Castelo Branco, teve uma péssima notícia na semana que passou: a Andrade Gutierrez está deixando a construção da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol). A empresa não consegue tocar as obras e cumprir todas as exigências do Ibama. Considerada uma ferrovia que já nasce superavitária, a Fiol é um atestado de incompetência na gestão de investimentos. Foram demitidos 2.500 trabalhadores.

Desabafo

Da repórter Renata Giraldi (EBC-Agência Brasil|) no Facebook: "No mundo paralelo da Rio+20, o aparelho de ar condicionado é mantido a algo em torno de menos 20ºC, o sorvete pode custar até R$ 40, você leva mais de uma hora entre o começo da Barra e o final dela — onde fica o RioCentro — e as reuniões ocorrem no Pavilhão 5, mas os jornalistas são confinados ao Pavilhão 3".

Velho Chico

Em plena semana de abertura da conferência Rio+20, o Tribunal de Contas da União (TCU) revela que o Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco está parado. Segundo o ministro Aroldo Cedraz, as obras e as ações de recuperação e controle de processos erosivos estão desperdiçando recursos públicos . "A vazão do Velho Chico recuou 35% de 1948 a 2004", afirma.

Extrativismo

A Rio+20 discutirá amanhã, no Pier Mauá, às 14h, a produção extrativista brasileira. Segundo o presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa das Populações Extrativistas e dos Povos e Comunidades Tradicionais, deputado federal Afonso Florence (PT-BA), 420 milhões de hectares (11% das florestas globais) estão legalmente sob propriedade ou administração das comunidades extrativistas.

Segredos

A partir de amanhã, o Arquivo Nacional deveria liberar todos os documentos oriundos dos órgãos de segurança do regime militar sem as tarjas pretas utilizadas para impedir que os pesquisadores soubessem os nomes das pessoas investigadas e dos agentes responsáveis pelas informações. Os funcionários do serviço, porém, farão uma paralisação de protesto. Pleiteiam a reestruturação da carreira.

Bom acordo

O apoio do PP à candidatura de Fernando Haddad (PT) para a prefeitura de São Paulo garantiu ao deputado Paulo Maluf, ex-prefeito da capital, um lugar ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos palanques e a nomeação de um aliado na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, o engenheiro Osvaldo Garcia.

Mágicas

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, tirou da cartola uma proposta salomônica para manter a frente com o PT no Recife. O vice-prefeito Milton Coelho na cabeça da chapa e um petista na vice. Avalia que o senador Humberto Costa, considerado um candidato biônico pela militância petista, não tem a menor chance de vencer a eleição, já que não terá apoio do prefeito João da Costa (PT), que foi impedido pela cúpula do PT de disputar a reeleição. Quem, porém, resolveu pleitear a cabeça da aliança foi o ex-prefeito João Paulo, líder disparado nas pesquisas.

O santo é de barro

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 16/06/2012
O presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou ontem que as reuniões da comissão estão suspensas. O pretexto foi a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. O verdadeiro motivo é o enorme desgaste eleitoral sofrido pelos governistas devido à não convocação do empresário Fernando Cavendish, proprietário da Delta Construções, para depor na comissão.

» » »

O pedido para ir devagar com o andor foi do relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), que se queixa de abandono por parte dos companheiros do PT, inclusive em Minas. Considerado um craque nas articulações de bastidores da Câmara, Odair nunca deu a cara a tapa em assuntos polêmicos, como agora, na CPI. A maioria da bancada petista, preocupada com as eleições municipais, reagiu mal à atuação de seus representantes na CPI, que protegeram o dono da Delta. A revelação de que integrantes da CPI haviam se encontrado com Cavendish em Paris, na França, deu ares de verdade à afirmação feita pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), de que estaria atuando na CPI uma "tropa do cheque", ou seja, parlamentares a serviço de Cavendish.

» » »

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) e o deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL), membros da CPI, admitiram ter se encontrado "casualmente" com Cavendish num restaurante famoso da capital francesa. Nogueira encaminhou a proposta contra a convocação de Cavendish, que acabou aprovada por 16 a 13; Quintella estava numa audiência fora do Congresso e não votou. Porém, ambos negam qualquer acordo com Cavendish.


Mico//

No comando da Rio+20, o Brasil pretende estabelecer uma nova ordem de trabalho para as delegações dos 193 países presentes ao encontro. Teme o mico de não conseguir fechar um documento-base para a reunião de 115 chefes de Estado e de Governo até terça-feira.

Pelourinho

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia frustrou a intenção da defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) de obstruir os trabalhos do Conselho de Ética do Senado ao rejeitar pedido para suspender a reunião marcada para segunda-feira. Acusado pela Polícia Federal de ser o braço político da organização criminosa comandada por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Demóstenes já sabe que o conselho pedirá sua cassação.

Oxente!

A campanha de Fernando Haddad (PT) pretende explorar o prestígio da ex-prefeita Luiza Erundina (PSB) para sensibilizar o eleitorado de origem nordestina da capital paulista, que é numeroso. Paraibana, a vice indicada pelo governador de pernambuco, Eduardo Campos (PSB), tem penetração nos bairros mais populares da cidade, principalmente da Zona Leste.

Carona

O encontro da presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto com cerca de 20 atletas brasileiros que disputarão os Jogos Olímpicos de Londres foi a forma que o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, encontrou para prestigiar o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e o chefe da missão brasileira nos Jogos de Londres, Bernard Rajzman. Ambos estavam na geladeira.

Vice

O deputado ACM Neto, do DEM, já tem uma companheira de chapa na disputa pelo Palácio Thomé de Souza. É a professora Célia Sacramento (PV), que conta com o apoio do PSDB e do PPS. "A vice foi escolhida de maneira colegiada com os partidos que fazem parte da nossa aliança", afirmou ACM Neto, candidato à Prefeitura de Salvador.

Ausentes

A presidente Dilma Rousseff ofereceu aos governadores ontem uma linha especial de crédito aos estados de R$ 20 bilhões para investimentos. Só não participaram do encontro os governadores da Paraíba, do Piauí, de Rondônia, de Roraima e de São Paulo, representados pelos respectivos vices. O custo desse financiamento será a TJLP (6% ao ano) mais 1,1% anuais, com prazo de pagamento de 20 anos

Arquibancada/ Dilma Rousseff advertiu os governadores de que não vai jogar para a torcida. Alertou-os que na Europa não tem luz no fim do túnel e que não dá para fazer festa em ano de vacas magras. Foi um recado para os deputados e senadores da própria base, e também da oposição, que ameaçam aprovar aumento de piso salarial para diversas categorias de grevistas.

Lá fora/ O tucano Geraldo Alckmin não foi à reunião com Dilma porque estava em Washington para assinar um contrato de financiamento de US$ 1,148 bilhão com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O valor é o maior da história do organismo internacional.

Aqui dentro/ O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), após o encontro no Planalto, anunciou que pretende recorrer ao Pró-Investe, programa de apoio aos estados, com recursos de R$ 20 bilhões, do Tesouro Nacional, e que serão liberados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Cheiro de pizza

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 15/06/2012
Um dia após a Controladoria-Geral da União (CGU) ter declarado inidônea a Delta Construções, o PT blindou o dono da empresa, Fernando Cavendish, na CPI do Cachoeira e derrubou requerimento da oposição para convocação do empresário ligado ao contraventor para depor perante a comissão. Também não deixou que fosse convocado o ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot, que vem se oferecendo para depor.

» » »

A operação foi comandada pelo líder do PT, Jilmar Tatto (SP), e contou com forte atuação, nos bastidores da CPI, do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), amigo de Cavendish. O relator da CPI, Odair Cunha (PT-MG), argumentou que seria uma precipitação convocar o empresário antes de a comissão colher mais informações sobre sua atuação no caso. O mesmo argumento foi usado pelos governistas para derrubar a convocação de Pagot.

» » »

A oposição estrilou depois de perder a votação por estreita margem: foram 16 votos a favor e 13 contra a convocação de Cavendish. No caso de Pagot, o placar foi de 17 a 13. O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) e o ex-líder do governo Cândido Vaccarezza (PT-SP) chegaram a se estranhar, porque o primeiro atribuiu a derrota da oposição a uma suposta "tropa do cheque", o que gerou protestos dos que acompanharam o voto do relator, contrário às convocações.

Convocados

Em contrapartida, a CPI convocou mais 10 pessoas envolvidas com Carlos Cachoeira — a começar pela mulher do contraventor, Andressa Mendonça —, a maioria mirando o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Todas foram citadas nas investigações das operações Monte Carlo e Vegas, da Polícia Federal. Também foram convocados Carlos Bordoni, Lúcio Fiúza, Hillner Ananias, João Furtado de Mendonça Neto, Alcino de Souza, Rubmaier Ferreira de Carvalho, Ana Cardozo de Lorenzo, Aredes Correia Pires e Alexandre Milhomem.

Paralelo

Miro Teixeira e o senador Pedro Simon (PMDB-RS) articulam um depoimento paralelo de Pagot, no qual suas denúncias seriam tomadas a termo e encaminhadas à Polícia Federal. A proposta surgiu depois que o senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP), irritado com a derrubada da convocação de Cavendish, sugeriu que a oposição abandonasse a CPI.

Representação

O senador Fernando Collor, do PTB-AL, exultava ontem. O conselheiro Almino Afonso Fernandes, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), determinou a notificação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para que em 15 dias preste esclarecimentos sobre a conduta adotada em relação à Operação Vegas, da Polícia Federal, que investigou a exploração de jogos ilegais por Carlos Cachoeira. Collor representou contra Gurgel.

Toalha//

A proposta de criação do fundo de incentivo ao desenvolvimento sustentável deve ser retirada do texto final da Rio+20. Estados Unidos e Canadá lideraram o veto à proposta, que era defendida pelo Brasil. O Itamaraty também desistiu de apresentar um texto alternativo, como chegou a ser aventado por alguns países.

Cofre

A presidente Dilma Rousseff se encontra hoje com os governadores para anunciar a abertura de linhas de crédito nos bancos oficiais que podem chegar a R$ 40 bilhões. Com dificuldades para executar seus projetos, o governo quer mobilizar os estados para ampliar os investimentos em infraestrutura e aquecer a economia. Os governadores, porém, querem renegociar as dívidas dos estados, que pagam juros altíssimos.

Base

A Câmara aprovou crédito extraordinário ao Ministério da Defesa para reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz. A base brasileira foi destruída por um incêndio em fevereiro passado. Na ocasião, morreram dois militares da Marinha que tentaram controlar o fogo. A cifra é de R$ 40 milhões

Caçadora/ A FAB habilitou a primeira mulher a liderar esquadrilhas de caça de alta performance, a chamada "primeira linha". A primeiro-tenente aviadora Carla Alexandre Borges pilotará um caça A-1 (AMX) do Primeiro Esquadrão do Décimo Sexto Grupo de Aviação (1º/16º GAv), Esquadrão Adelphi, sediado na base Aérea de Santa Cruz (RJ).

Brigados/ Não convidem para a mesma mesa o diretor executivo do Fundo Garantidor de Créditos, Antonio Carlos Bueno, e André Esteves, comandante-em-chefe do BTG Pactual, que quis comprar o Banco Cruzeiro do Sul com R$ 1 e ouviu um "não" do representante dos grandes bancos. Esteves é hoje o principal interlocutor do ministro da Fazenda, Guido Mantega, no mercado financeiro.

Greve/ O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Ari Pargendler, suspendeu a liminar concedida pelo Tribunal de Justiça da Bahia que orientava o pagamento dos salários dos professores da rede pública estadual em greve. Jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) ampara o não pagamento dos salários no período da paralisação.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

De contas abertas

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 14/06/2012
O saldo do depoimento do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), na CPI mista do caso Cachoeira, ontem, depois de dez horas, foi a quebra dos seus sigilos bancário, fiscal e telefônico e os do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Constrangido, tão logo Agnelo anunciou que abriria mão dos próprios sigilos, Marconi ligou para a CPI anunciado que adotaria o mesmo procedimento.

» » »

Na véspera, a oposição havia protestado quando o relator da CPI, Odair Cunha (PT-MG), solicitou que Perillo adotasse esse procedimento. Agnelo surpreendeu a oposição e até mesmo os governistas pela forma como prestou esclarecimentos à comissão. Exaustivamente treinado por seus assessores (nas simulações respondeu a perguntas mais agressivas do que as feitas pelos integrantes da CPI), o governador do Distrito Federal aproveitou o depoimento para denunciar a existência de um grupo de arapongas em Brasília que chantageia autoridades e que supostamente conspira para derrubá-lo do cargo em conluio com políticos de oposição.

» » »

Fez a denúncia ao responder a questionamento do tucano Fernando Francischini (PR), que supostamente teria sido grampeado por ordem de um coronel da Polícia Militar ligado ao Palácio do Buriti, a sede do GDF. Agnelo tirou de letra as perguntas feitas pelo relator Odair Cunha. Quando pressionado, foi firme também nas respostas à oposição, inclusive quando pressionado sobre a compra de sua casa em Brasília.

Rebarba

As quebras dos sigilos bancários dos governadores de Goiás, Marconi Perillo, e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, que devem ser formalizadas hoje na reunião administrativa da CPI, motivaram a oposição a voltar à carga contra o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, do PMDB, por causa de sua relação de amizade com o empresário Fernando Cavendish, dono da construtora Delta. A proposta foi apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP), para quem "Cabral deveria seguir o mesmo exemplo dos outros dois colegas".

Documentos//

O Senado aprovou ontem o projeto de lei que regulamenta a digitalização e o armazenamento em meio eletrônico de documentos públicos e privados. De autoria da ex-deputada petista Angela Guadagnin (SP), ele foi relatado pelo senador tucano Aloysio Nunes Ferreira, ambos paulistas. Segue agora para a sanção presidencial.

Não dói/ O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) só faltou propor um pacto de não agressão entre tucanos e petistas. Ao avaliar o depoimento de Agnelo Queiroz (PT) comparou seu desempenho ao de Marconi Perillo (PSDB), dando-se por satisfeito com o chumbo trocado.

Jamegão/ Onyx Lorenzoni (DEM-RS) comemorou como uma vitória particular o fato de o governador do Distrito Federal ter assinado documento autorizando a quebra de seus sigilos. "Exigi que ele assinasse a autorização da quebra de sigilo hoje, exatamente para evitar que houvesse uma manobra e ficasse apenas uma propaganda enganosa", explicou.

Quem ganha/ O petista Cândido Vaccarezza (SP) comemorava o fato de Marconi Perillo ter colocado os sigilos à disposição da CPI. "Ele não teve alternativa, vamos ver o que vai acontecer quando as informações chegarem à CPI." Para o petista, Perillo blefou ao exibir os extratos bancários durante seu depoimento.

Familiares/ Rubens Bueno (PPS-PR) defendeu que a CPI do Cachoeira quebre os sigilos bancário e fiscal de familiares de Agnelo Queiroz. Segundo o parlamentar, as explicações do governador sobre sua casa não foram satisfatórias. Agnelo também pôs à disposição da CPI o sigilo fiscal de sua esposa.

Aprovados/ A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou ontem a indicação da advogada Ana Frazão e do economista Eduardo Pontual para o Conselho Administrativo de defesa Econômica (Cade) e do matemático Luiz Edson Feltrin para a diretoria do Banco Central (BC).

Calma aí

O senador Armando Monteiro, do PTB-PE, avalia que ainda é muito cedo para a frente encabeçada pelo governador Eduardo Campos (PSB) lançar uma candidatura própria por causa do racha no PT. "É preciso ver como o senador Humberto Costa (PT-PE) vai lidar com a resistência do prefeito João Costa (PT)", argumenta. A reeleição do prefeito foi vetada pela cúpula do PT, que optou por lançar a candidatura do senador petista.

Aterros

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça do senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) apresentou projeto que cria o Fundo Nacional de Aterros Sanitários (FNAS). Propõe que o Orçamento Geral da União separe, por um período de 10 anos, com a finalidade de financiar a criação de aterros sanitários em todo o Brasil, o valor de R$ 800 milhões por ano.

Liderança

O senador Aécio Neves cobrou ontem um papel de mais liderança do Brasil na Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, iniciada ontem no Rio de Janeiro. "O fato de não termos conseguido dar um fecho no Código Florestal é uma sinalização ruim que o Brasil dá para as outras partes do mundo", criticou. "Espero que o Brasil tenha uma posição mais ousada do que apenas de ser o anfitrião do evento", afirmou o senador Aécio.

Corredor petista

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 13/06/2012
O depoimento do governador Marconi Perillo (PSDB-GO) à CPI do Cachoeira ontem durou quase nove horas. Foi uma batalha parlamentar transmitida em tempo real para todo o país. Contra a orientação de seu advogado, o tucano apostou nesse caminho para se safar das denúncias de envolvimento com o contraventor. Enfrentou uma espécie de corredor polonês comandado pelo relator da CPI, Odair Cunha (PT-SP), que lhe fez mais perguntas do que a todos os demais depoentes que se apresentaram na CPI.

Aliados do governador goiano e parlamentares independentes na CPI consideraram o depoimento satisfatório: Perillo foi firme e convincente ao responder às perguntas, mesmo ao explicar a rocambolesca venda de sua casa para um ex-vereador de Goiânia — o imóvel acabou servindo de moradia para Carlinhos Cachoeira.

Durante a reunião da CPI, parecia que Perillo transitaria incólume pelo corredor petista, até que Odair Cunha, depois de atender a uma ligação telefônica atribuída pela oposição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, resolveu pedir que Perillo tomasse a iniciativa de abrir os sigilos bancário, fiscal e telefônico. O tucano Carlos Sampaio (SP) reagiu, denunciou a suposta interferência de Lula e acusou o relator de tentar transformar Perillo de testemunha em investigado. Só a partir daí o clima esquentou na CPI.

Ponto a ponto

Orientado pelo advogado, Marconi Perillo fez um depoimento pautado por argumentos de sua defesa jurídica. Para cada pergunta do relator baseada no inquérito da Polícia Federal, tinha uma resposta com começo, meio e fim. O governador de Goiás demonstrou indignação, fez um balanço de seu governo e rebateu as acusações. Com isso, manteve o apoio dos aliados. A aposta dos petistas era de que Perillo ficaria desamparado na CPI.

Desacordo

Não houve acordo entre petistas e tucanos para livrar a cara de Perillo em troca de um salvo-conduto para o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), que hoje prestará depoimento à CPI. Essa era a grande dúvida de um grupo de integrantes da CPI que se consideram independentes. Reunidos no restaurante Piantella, em Brasília, os deputados Miro Teixeira, do PDT-RJ, e Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (PSol-AP) tentavam adivinhar o que os petistas combinavam na casa do deputado Hugo Leal (PSC-RJ). "O único jeito de saber é sentar e ouvi-los na CPI", vaticinava Miro.

Troco

Os tucanos prometem dar o troco nos petistas durante o depoimento de Agnelo Queiroz marcado para hoje. A situação do governador do DF, porém, é mais tranquila, porque ele não teve relação direta com Cachoeira e conta com a colaboração do relator, o petista Odair Cunha. A maior preocupação de Agnelo é com o PMDB. Por isso, escalou o vice, o peemedebista Tadeu Filipelli, para fazer o meio de campo na CPI.

Mensalão

O presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra, de Pernambuco, minimizou as acusações dos petistas. "A discussão é rigorosamente ridícula. Não há conteúdo. "O problema do PT é o mensalão. É tudo invenção para tirar o foco", completou.

Cassação

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), marcou para segunda-feira a leitura do relatório do senador Humberto Costa (PT-PE) sobre o processo contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). O petista pedirá a cassação de Demóstenes por quebra de decoro parlamentar.

Viadutos

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), e a presidente Dilma Rousseff assinaram ontem termo de compromisso para modernização do Anel Rodoviário de Belo Horizonte. Serão construídos 18 viadutos e pavimentados 27,3km da via. O governo federal repassará ao governo mineiro R$ 1,5 bilhão

Documentos/ O Ministério da Defesa negou ontem que a reclassificação de documentos sigilosos das Forças Armadas tenha por objetivo burlar a nova Lei da Acesso à Informação.

Ministros/ A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou ontem as indicações de Hugo Carlos Scheuermann e Alexandre de Souza Agra Belmonte, feitas pela presidente Dilma Rousseff, para o cargo de ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Polio/ O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lança hoje a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. Começa no sábado e vai até 6 de julho em todo o Brasil.

O dinheiro sujo

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 12/06/2012
O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), presta depoimento hoje na CPI do Cachoeira enrolado com a casa que teria vendido ao contraventor Carlos Augusto Ramos numa operação que tem quatro versões e pelo menos uma certeza: foi no imóvel que o bicheiro foi preso. Perillo repetirá na CPI o que diz nas entrevistas: nega categoricamente que tivesse conhecimento de que o comprador final da casa era Cachoeira.

» » »

Argumentará que fez tudo legalmente: recebeu o pagamento em três cheques, depositou-os na própria conta bancária, declarou a alienação do imóvel à Receita e fez a transferência para o comprador. E que a origem do dinheiro não é um problema seu, mas de quem comprou a casa. No entanto, quem é o verdadeiro dono?

» » »

Gravações mostram que Carlinhos Cachoeira participou diretamente da operação de venda da casa para o professor Walter Paulo Santiago, administrador da Mestra Participações, que pagou pelo imóvel em dinheiro vivo, em pacotinhos de notas de R$ 50 e R$ 100. E que, um dia depois, foi feita a escritura do imóvel num cartório do interior de Goiás. A história é mal contada porque Cachoeira morava na casa com a mulher, Andressa. O rolo abalou os representantes da oposição na CPI, inclusive os do PSDB. Se não for muito convincente, Perillo estará só em seu depoimento. E ficará no sal.

É agora//

Parlamentares da base fazem corpo mole nas votações e esfregam as mãos. As críticas de empresários e analistas econômicos à execução financeira do governo, principalmente na área de infraestrutura, reforçam a pressão para a liberação das emendas parlamentares pelo Palácio do Planalto.

Salários

Sindicalistas de Brasília estão com saudades de Paulo Bernardo, que trocou o Planejamento, pasta que ocupou no governo Lula, pelo Ministério das Comunicações. É que a atual ministra, Miriam Belchior, não quer nem saber das promessas feitas por seu antecessor nas negociações com o funcionalismo. Não será surpresa se houver uma greve federal às vésperas da reunião de cúpula da Rio+20, com a adesão inclusive do pessoal da Justiça e do Ministério Público. Já estão em greve 40 universidades federais.

A conta

A Medida Provisória 568, que trata do reajuste de salários de 937 mil servidor es federais, pode ser votada hoje. Sindicatos pleiteiam um aumento linear de 22,08%, o que representa um gasto adicional para o Tesouro de R$ 25 bilhões

Corta-luz

A regra virou exceção na Lei de Licitações para as obras do governo. O relator da Medida Provisória 559/12, que autoriza a Eletrobras a assumir o controle acionário da Celg, companhia de distribuição de energia elétrica de Goiás, deputado Pedro Uczai (PT-SC), aproveitou seu relatório para estender o Regime Diferenciado de Contratações (RDC) para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do sistema público de ensino. O relatório está pronto para votação.

Conversa

A presidente Dilma Rousseff teve uma conversa de pé de fogueira com o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, na semana passada. O peemedebista de Alagoas manteve discrição absoluta sobre o teor do encontro. Mas quem está com a pulga atrás da orelha é o presidente da Transpetro, Sergio Machado. É a bola da vez no troca-troca de comandos nas estatais do petróleo.

Rio+20/ A presidente Dilma Rousseff, em seu discurso de abertura da Rio+20, amanhã, anunciará para gregos e baianos a sua receita anticrise global: crescer, incluir e preservar.

Promoção/ Funcionário de carreira do Banco Central, o matemático Luiz Edson Feltrim será sabatinado hoje na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Ele foi indicado para a recém-criada Diretoria de Assuntos Especiais do banco e terá assento no Comitê de Política Monetária.

Reforço/ O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), escalou os deputados petistas Paulo Tadeu e Geraldo Magela, ambos do DF, para preparar o terreno na CPI do Cachoeira, em que depõe amanhã. O primeiro foi o homem forte de sua administração; o segundo tem amplo trânsito na Câmara.

Teflon

A cúpula do PT ri à toa: apesar do bombardeio da oposição, a imagem da legenda não sofreu abalos com o mensalão. Pesquisa Vox Populi revelou que 66% acreditam que o PT tem atuação "positiva na política brasileira"; 72% concordam com a frase: "O PT ajuda o Brasil a crescer"; 56% dos entrevistados acham que o partido "cumpre o que promete"; e 70%, que "tem compromisso com os pobres".

terça-feira, 12 de junho de 2012

Tempo fechado

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 10/06/2012
Estão marcados os depoimentos dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF) na CPI mista do caso Cachoeira, na qual o PT e o PSDB se digladiam. Além disso, uma reunião administrativa da comissão deverá examinar a convocação do ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot e do dono da Delta Construções, Fernando Cavendish, arrastando o PMDB para o olho do furacão.

» » »

O depoimento de Perillo será na terça-feira, às 10h15, quando o governador goiano terá que explicar a tortuosa operação de venda da casa em que Cachoeira foi preso pela Polícia Federal, durante a Operação Monte Carlo. O depoimento do governador do Distrito Federal está marcado para quarta-feira, no mesmo horário. O petista será questionado sobre contratos de recolhimento de lixo no DF com a Delta, cuja rescisão foi anunciada na semana passada.

» » »

PT e PSDB se acusam mutuamente. E o PMDB não está gostando nada disso, porque pretende manter o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), longe da CPI. O que faz os ânimos se exaltarem é a quebra do sigilo bancário da Delta.

Sigilo

O PT se articula para aprovar a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do governador Marconi Perillo na CPI do Cachoeira, na quinta-feira. As condições políticas precisarão ser criadas durante o depoimento do governador goiano. O PMDB ainda não se convenceu a tomar a iniciativa. Apenas o senador Sérgio Souza (PMDB-PR) pretende votar a favor da quebra de sigilos. Ele é o suplente da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT).

Ciranda

A bancada do PSDB na CPI do Cachoeira começa a revelar fissuras. Alguns defendem a tese de que o governador Marconi Perillo deve se antecipar à comissão e abrir os sigilos bancário e fiscal. O rolo com a venda da casa do governador goiano para o bicheiro minou a solidariedade partidária.

Gabinetes

Ex-chefe de gabinete de Perillo, Eliana Gonçalves Pinheiro deve ser convocada a depor na CPI. Segundo a PF, ela era o contato com Cachoeira e sabia das investigações envolvendo aliados do contraventor: Eliane avisou o prefeito de Águas Lindas de Goiás, Geraldo Messias, aliado de Perillo, que agentes da PF fariam uma busca na residência dele. Outro que deve ser convocado é Cláudio Monteiro, ex-chefe de Gabinete de Agnelo.

Despedida

O ministro do Supremo Tribunal Federal Cezar Peluso completará 70 anos em 3 de setembro. Como deve se aposentar ainda em agosto, talvez tenha que sair da Corte antes de o julgamento do mensalão terminar. Nada impede, porém, que se despeça do tribunal apresentando o seu voto.

Deriva

Acionistas do Estaleiro Atlântico Sul (EAS), as empreiteiras Queiroz Galvão e Camargo Corrêa estão no sufoco. Por causa do vexame do petroleiro João Cândido, o navio que não queria navegar, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, mandou a Transpetro suspender os contratos de construção de 16 dos 22 navios encomendados ao estaleiro. Vão ter que meter a mão no bolso para manter o EAS funcionando e receber as encomendas novamente. Quem está arrancando os cabelos com a perda dos investimentos é o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), o grande artífice da construção do estaleiro.

Adiantamento

Segundo a Petrobras, o Atlântico Sul não pode reclamar. Do valor total de R$ 2,2 bilhões da encomenda de 22 petroleiros e do casco da plataforma P-55, já recebeu um adiantamento de R$ 1,4 bilhão

Não se afinam//

As relações da presidente Dilma Rousseff com a cúpula do PMDB estão mais geladas do que nunca. Como as reuniões de coordenação de governo são cada vez mais raras, o vice-presidente Michel Temer foi completamente alijado do centro de decisões.

Fórum/ Começa amanhã o Fórum sobre Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável, no Rio de Janeiro, que antecede a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Durante cinco dias, os participantes do fórum tratarão de temas como mudanças climáticas, evoluções demográficas, saberes autóctones, transição rumo a uma economia verde e segurança da água.

Empresários/ Organizado pelo Pacto Global das Nações Unidas, a Rio+20 Corporate Sustainability Forum reunirá mais de 2 mil empresários, líderes governamentais e representantes da sociedade civil de diversas partes do mundo para discutir inovação e colaboração. A diretora da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, confirmou presença no evento, que será realizado de 15 a 18 de junho.

domingo, 10 de junho de 2012

Bananas de dinamite

Brasília-DF - Luiz Carlos Azedo
Correio Braziliense - 09/06/2012

O ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot quer assumir a condição de homem-bomba da CPI mista do caso Cachoeira, voluntariamente. Pretende depor para denunciar as pressões que teria sofrido de Carlos Cachoeira para favorecer a construtora Delta nas licitações do órgão.

Pagot também se propõe a denunciar suposta utilização de verbas públicas para financiamento de campanha eleitoral em São Paulo, no caso, recursos da obra do Rodoanel. Diante do que anda falando, nove requerimentos para convocação de Pagot já foram apresentados na CPI, mas, até agora, nenhum foi a votação.

Afastado do cargo de diretor-geral do Dnit durante a crise que derrubou o então ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento (PR-AM), as declarações de Pagot reforçam as suspeitas de que o PT pretende atuar na CPI para atingir o ex-governador José Serra (PSDB), candidato a prefeito de São Paulo. Curioso é que o ex-chefe de Pagot, o senador Nascimento, acaba de anunciar apoio ao candidato tucano.

Proteção

O senador Randolfe Rodrigues (foto), do PSol-AP, resolveu abrir as baterias contra o relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG). Segundo Randolfe, o parlamentar cria dificuldades para todos os requerimentos da oposição que possam envolver a Delta. "Tudo que tem interface com a empresa tem sido sobrestado", dispara.

Empresas

O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), anunciou ontem que pretende requerer ao governo federal o nome de todas as empresas beneficiadas, nos últimos três anos, por financiamentos subsidiados concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Rubens quer saber se houve ajuda do BNDES a alguma empresa ligada ao contraventor Carlos Cachoeira.

Chapão

Candidato à Prefeitura de Salvador, Nelson Pellegrino (PT) deve receber o apoio do PDT na convenção do partido marcada para amanhã. Os trabalhistas preferem manter a aliança com o PT. O presidente da legenda, Carlos Lupi, negocia o acordo com o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT). O vice de Pellegrino, porém, deve ser o ex-secretário municipal de Transportes de Salvador José de Mattos, do PP. Além do PP e do PDT, Pellegrino conversa com o PSD, o PSC, o PSB, o PR, o PRP, o PTC e o PTdoB.

Colateral

O ex-governador e atual prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB), teve a prisão preventiva e o bloqueio de R$ 500 mil em bens e contas bancárias solicitados pelo Ministério Público de Goiás. Administrador da segunda maior cidade do estado, é acusado de superfaturamento e desvio de recursos nos contratos de limpeza urbana assinados com a Delta, do empresário Fernando Cavendish.

Sem diálogo

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti (foto), negocia com os líderes da oposição o fim da obstrução às votações na Comissão Mista de Orçamento, que não delibera há 40 dias. Líderes do DEM e do PSDB, respectivamente, Felipe Maia (RN) e Duarte Nogueira (SP) queixam-se da falta de interlocução com os governistas que atuam na comissão.

Crescimento

O IPCA mensal, desde setembro de 2011, vem apresentando quedas ininterruptas. Tanto que o IPCA acumulado em 12 meses passou de 7,31%, em setembro de 2011, para 4,99% em maio de 2012. O índice reforçou a estratégia do Banco Central de baixar a taxa Selic, mas não mexeu com as expectativas do mercado em relação ao crescimento neste ano: a previsão é de 2%.

Código

O deputado Bohn Gass (PT-RS), presidente da comissão que examina a medida provisória do novo Código Florestal, acredita que o relatório sobre o tema deve ser concluído até o início de julho. Será uma síntese do texto apresentado pelo governo e das 727 emendas de parlamentares. O senador Luiz Henrique (PMDB-SC) é o relator.

Intercâmbio

O PCdoB comandará o intercâmbio parlamentar entre Brasil e China, cujo grupo de trabalho foi instalado ontem na Assembleia Popular Nacional, em Pequim, sob presidência do deputado Osmar Júnior (PCdoB-PI). O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), sacramentou o acordo. Também estão na China Perpétua Almeida (PCdoB-SC) e o líder do PT, Jilmar Tatto (SP).

Saúde

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou proposta que permite o saque do saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o tratamento de doenças graves, especificando na lei as enfermidades abrangidas. O projeto tramita em caráter conclusivo pelas comissões da Casa.